Novas embalagens da Tetra Pak têm polímeros reciclados certificados

A Tetra Pak afirma ser a primeira empresa do sector alimentar e de bebidas a receber a certificação RSB associada à introdução de polímeros reciclados nas embalagens. Em comunicado, a Tetra Pak informa que as embalagens de cartão que integram estes polímetros reciclados certificados já se encontram disponíveis para os fabricantes.

«Temos vindo a trabalhar em estreita colaboração com a INEOS e a RSB nos últimos meses para podermos, a partir deste momento, oferecer embalagens que integram polímeros reciclados certificados, o que permite que contribuamos ainda mais para a transformação sustentável do sector alimentar», sublinha Alejandro Cabal, vice-presidente de Soluções de Embalagens e Operações Comerciais da Tetra Pak.

Até 2025, a empresa compromete-se a incorporar, no mínimo, 10% de conteúdo de plástico reciclado, em média, nas embalagens vendidas na Europa. Segundo a Tetra Pak, a opção por este material pode contribuir para o aumento das taxas de reciclagem e, além disso, tornar este processo mais viável em termos económicos.

No entanto, há um desafio à espreita. O crescimento da reciclagem e deste tipo de embalagens depende sempre da disponibilidade de polímeros reciclados e certificados aptos para o sector alimentar.

A solução, para já, pode passar pela combinação de plásticos feitos de materiais reciclados e não reciclados. Segundo a Tetra Pak, a produção de plástico de origem fóssil continua a crescer, tendo atingido cerca de 368 milhões de toneladas em 2019.

De acordo com Alejandro Cabal, «há um longo caminho a percorrer até que os polímeros reciclados e de origem vegetal possam ser convertidos na principal matéria-prima das embalagens». A Tetra Pak está a trabalhar nesse sentido em colaboração com parceiros, ao mesmo tempo que avalia a utilização de produtos alternativos à base de plantas de materiais de fibras recicladas.

«A nossa ambição a longo prazo é clara: queremos que todas as nossas embalagens sejam compostas por polímeros renováveis ou reciclados, pondo fim à extracção de matérias-primas fósseis. É necessário que haja a acção coordenada e a promoção por parte da indústria, das empresas e das outras partes interessadas, para apoiar a transição do sector para uma economia circular baixa em carbono», acrescenta o responsável da Tetra Pak.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...