No equilíbrio

M.ª João Vieira Pinto
Directora de Redacção Marketeer

Há muito que vejo Manuel Aires Mateus como o grande arquitecto dos espaços de linhas aparentemente simples com toda a vida no centro. Há dias, numa apresentação sua, ouvi-o dizer que o que procuramos, mais e mais, é um regresso ao básico, à simplicidade, à experiência pela experiência em si. Sem adornos ou subterfúgios. É natureza e mundo, como ele é. E que será muito a partir daqui, e com isto na sua base, que desenvolve hoje uma série de trabalhos, cá ou lá fora. «Estou mesmo convencido que as pessoas estão a fazer um back to basics», defendia.

Há uns anos, em plena pandemia, lembro-me de ter escrito por aqui que talvez pudéssemos fazer esse caminho, de valorização do simples. Depois observei, fui olhando, analisando, e recuei. Não, nem todos o quiseram, nem querem.

Gostava de perfilhar todas as palavras de Aires Mateus, ele que diz ter sido feliz na liberdade de passar uma semana de férias apenas com uns calções e t-shirts. «Para que é que é preciso mais?» Mas as pessoas são pessoas, consumidores e compradores, e o que continuamos a perceber é que há movimentos contrários. As propostas de retiros crescem, espaços para yoga idem – já dificilmente chega a um hotel que não tenha a possibilidade de uma aula, anunciada logo no check-in –, aulas e apps de meditação multiplicam-se… Mas o consumo, esse também. Que o digam os jovens ourives portugueses que são capa desta edição da Marketeer. Aquele sector que até há anos quase não teve marca nem rostos, a joalharia portuguesa, viu chegar uma nova geração que a está a levar mais longe e a multiplicar vendas, em diferentes mercados. Já conquistaram clientes, lojas e plataformas e acreditam que vão continuar a crescer. E não pense que os seus números são pequenos, pois que várias são as que já metem respeito a muitas PME, apesar da maioria ter sido lançada há dois-três anos. Mas, afinal, sem consumo o que seria da economia e dos mercados? E, no final, o que seria do mundo sem equilíbrio?

Editorial publicado na revista Marketeer n.º 320 de Março de 2023