Mercadona doou mais de cinco toneladas de alimentos em Março

No passado mês de Março, quando foi confirmado o primeiro caso de infecção por COVID-19 em Portugal, o Mercadona doou 5500 quilos de bens alimentares e mais de três mil pratos preparados ao Banco Alimentar Contra a Fome do Porto e a cantinas sociais. Além disso, estendeu aos restantes supermercados as doações directas que já tinha implementado em quatro lojas. Este sistema permite que os excedentes (e não só) sigam para pessoas carenciadas através de cantinas sociais.

O Mercadona indica ainda que está a articular-se com câmaras municipais, juntas de freguesia e outras entidades para facilitar a compra e /ou doação de bens. Em comunicado, sublinha que as vendas aumentaram mas que a implementação de medidas de prevenção, segurança e solidariedade implicam um esforço financeiro considerável. “Assim assim, são medidas essenciais para garantir a protecção do cliente, colaborador, fornecedor e sociedade”, frisa a cadeia espanhola, que conta já com 10 lojas em Portugal.

Recorde-se que o Mercadona está também a levar a cabo iniciativas especiais do lado dos clientes e dos trabalhadores. No que aos clientes diz respeito, é dada prioridade a profissionais de saúde e elementos das forças e serviços de segurança, por exemplo, além dos habituais grupos prioritários (idosos e grávidas, entre outros) e foi colocada sinalização que indica a distância de segurança de dois metros. Há também dispensadores de papel e gel desinfectante nas lojas, além da obrigatoriedade de utilização de luvas descartáveis.

Para os funcionários, o Mercadona anunciou um prémio de reconhecimento pelo esforço que será entregue aos 90 mil colaboradores e que corresponde a 20% do respectivo salário bruto. Também foram instaladas placas de protecção de acrílico em cada caixa, implementado um plano de desinfecção especial e aberto um call center interno para atendimento médico permanente, entre outras medidas.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...