Media Privados dizem que apoio do Governo é “muito aquém do justo e necessário”

O Governo anunciou esta tarde que irá alocar uma verba de 15 milhões de euros para a compra antecipada de publicidade institucional. Esta é a primeira medida anunciada especificamente para apoiar os meios de comunicação social em tempo de pandemia e há quem considere que não é suficiente.

A Plataforma de Media Privados (PMP) já fez saber que o valor avançado “fica muito aquém do justo e necessário, pouco ou nada acrescentando às verbas tradicionalmente inscritas em sede orçamental para os mesmos fins”. Segundo a plataforma, que junta Cofina, Global Media Group, Impresa, Media Capital, Público e Renascença Multimédia, também a modalidade de atribuição da verba deixa dúvidas.

“Está ainda por clarificar”, indica a PMP em comunicado. “Esperamos que os critérios de repartição sejam os mais correctos, como vimos defendendo, e que os mecanismos burocráticos do Estado não dificultem a sua fluidez.” A plataforma espera também que os preços de contratação sejam, no mínimo, equivalentes aos médios de mercado, adiantando ainda que também gera preocupação o número e a natureza das entidades que serão chamadas a regular este processo.

No mesmo comunicado, a PMP sublinha que os meios de comunicação se têm prontificado a divulgar informações de interesse público e alerta para a necessidade de reavaliar o cenário da indústria dos media e da sua relação com o Estado. Diz mesmo ser “imperativo”, representando uma “oportunidade para a qual a PMP manifesta a sua disponibilidade”.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...