Maquilhagem em segunda mão? Há quem diga que sim

Seria capaz de utilizar batons que já tivessem sido usados por outras pessoas? E sombras de olhos que lhe fossem vendidas já sem a capa protectora e com sinais de que algum pincel já andou por lá? O mercado de segunda mão tem ganho adeptos um pouco por todo o mundo e desengane-se quem acredita que se cinge à roupa e aos acessórios.

Japão e Estados Unidos da América estão entre os países onde esta possibilidade se está a tornar tendência graças a plataformas como Glambot ou Muabs. Tal como nota o site espanhol Mujeres a Seguir, os utilizadores destas plataformas colocam à venda cosméticos que não usam ou que já não querem por um preço inferior.

Existem, porém, algumas regras. Na Glambot, por exemplo, só podem ser vendidos produtos das 82 marcas identificadas pela plataforma e cada artigo deve fazer-se acompanhar da sua embalagem original. Além disso, o produto não pode estar a menos de metade – um frasco de perfume, por exemplo, terá de estar cheio pelo menos até meio.

A Muabs tem menos restrições. Aqui, pode vender-se qualquer tipo de produto em qualquer estado, desde que as fotos apresentadas correspondam à realidade. Fica nas mãos dos compradores decidir se querem ou não avançar.

O mesmo site espanhol justifica o interesse dos consumidores pela maquilhagem em segunda mão com a possibilidade de adquirir produtos por preços mais reduzidos. O que poderá ser especialmente aliciante para os jovens que não têm possibilidade de pagar o preço de venda ao público de determinado batom ou blush.

Há ainda quem considere que esta opção é mais amiga do ambiente, uma vez que promove um consumo de maquilhagem sem desperdício.

É preciso levar em consideração, porém, que esta prática pode representar alguns perigos para a saúde. Um dos factores mais importante a ter em conta diz respeito ao prazo de validade dos cosméticos, que pode reduzir assim que a embalagem é aberta. Também não é possível saber se os donos anteriores tinham algum tipo de infecção (herpes ou conjuntivite, por exemplo).

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...