Mais de 60% dos eleitores não altera férias para votar

estudo-ipam-eleitores-final2De acordo com o estudo “Perfil do Eleitor Português”, desenvolvido pelo IPAM – The Marketing School, 63% do eleitorado em Portugal afirmou não estar disposto a alterar o período de férias caso a data colidisse com o dia das eleições legislativas. Apesar disso, a esmagadora maioria dos inquiridos (69%) acredita que as eleições ontem realizadas são benéficas para o futuro do país.

Um em cada três eleitores afirmou decidir o seu sentido de voto em função da personalidade do candidato e 7% mostra-se fiel à sua ideologia política: vota sempre no mesmo partido. Já 82% dos eleitores referiu que a  situação de crise político-económica que o país atravessa pesaria “muito” na decisão de voto.

A taxa de abstenção e o voto em branco são outros dos itens a que o trabalho realizado pela IPAM dá resposta: 93% considera que, perante a situação de crise político-económica, “boicotar” a ida às urnas não é a solução; 79% acredita mesmo que a sua cruz no boletim “faz a diferença”. Todavia, o voto em branco é interpretado, por 85%, como uma manifestação de desagrado para com a classe política.

Mais de metade dos eleitores afirma que um mês antes das eleições já sabe em quem confiar o seu voto e 87% manifesta o desejo de que o voto electrónico – uma prática iniciada há mais de 30 anos na Holanda – se possa tornar uma realidade também no território nacional. Quando questionados sobre a forma como decidem em quem votar, 46% refere ter por base os programas eleitorais dos partidos.

O estudo “Perfil do Eleitor Português” elaborado pelo IPAM – The Marketing School teve por base um inquérito electrónico, realizado entre os dias 5 e 30 de Maio. O universo deste estudo é constituído por indivíduos de ambos os sexos com idade igual ou superior a 18 anos, recenseados e residentes em Portugal Continental. Para efeitos de estudo, foram tidos como válidos e contabilizados 536 inquéritos realizados.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...