Maior fabricante de preservativos alerta: só há stock para dois meses

Depois do papel higiénico, serão os preservativos o próximo artigo esgotado nas prateleiras dos supermercados? A Karex, responsável pela produção de um em cada cinco preservativos de todo o Mundo, alerta para uma possível quebra na oferta, uma vez que as unidades que tem em stock deverão ser suficientes apenas para mais dois meses.

De acordo com a Bloomberg, está previsto um recuo de perto de 50% na disponibilidade de preservativos. As fábricas da Karex estiveram fechadas durante uma semana e reabriram na passada sexta-feira com apenas metade dos funcionários, o que implicará uma redução do número de preservativos produzidos.

A Karex lembra que a maioria dos preservativos é produzida na China e Índia, mercados muito afectados pelo novo coronavírus e onde foram aplicadas restrições ao funcionamento das empresas como medida de prevenção.

Por outro lado, a procura está a crescer a dois dígitos. À mesma agência noticiosa, Goh Miah Kiat, CEO da Karex, justifica este aumento com o facto de muitos governos estarem a pedir aos cidadãos para ficarem em casa. Além disso, a incerteza sobre o futuro estará a levar as pessoas a não quererem ter filhos.

«Diria, sem dúvidas, que esta é uma fase sem precedentes. Nunca vimos uma disrupção deste tipo» garante o CEO da Karex, que tem como um dos principais clientes a Durex. Devido ao aumento na procura e à impossibilida de dar resposta, o preço dos preservativos poderá aumentar, indica ainda o responsável: «Ainda estamos a pagar a todos os nossos trabalhadores o salário completo, mas os trabalhadores só vêm metade do tempo, por isso, em termos gerais haverá um aumento dos custos.»

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...