Llorente & Cuenca com 25% da Imago

logo21«Mais do que um negócio é uma integração.» É desta forma que Madalena Martins, sócia fundador da Imago se refere à tomada de posição da Llorente & Cuenca no capital na Imago, ao fim de um ano da parceria comercial, que, recorde-se, as duas empresas estabeleceram em Maio de 2010.

«A experiência de parceria comercial confirmou a sintonia entre o posicionamento e a qualidade do desempenho de ambas as empresas e a confiança de que podemos alargar a nossa capacidade de prestar serviços de excelência e cada vez mais especializados em Portugal e noutros países de língua portuguesa», disse José António Llorente, fundador e Administrador Delegado do grupo Llorente & Cuenca. E Carlos Matos, sócio fundador da Imago, acrescenta: «Com a Llorente & Cuenca encontrámos uma maneira de pensar que tem muito a ver com a nossa.» O desafio, revelou, é «sermos capazes de gerar pensamento e inovação na maneira de resolver os problemas dos nossos clientes».

O acordo agora firmado incide sobre uma participação inicial de 25% com o restante capital a ser detido em partes iguais pelos fundadores da Imago, Madalena Martins e Carlos Matos. Em conferência de imprensa promovida esta manhã pela Imago-Llorente & Cuenca os responsáveis da agência referiram que se prevê a opção da Llorente & Cuenca de reforçar a sua participação na Imago ao longo dos próximos anos, não tendo sido revelado a que ritmo se dará este reforço.

As principais apostas da Imago-Llorente & Cuenca de agora em diante são o reforço da qualidade e a especialização em áreas de competência prioritárias como a comunicação corporativa, a comunicação financeira, a comunicação online, a comunicação de crise, responsabilidade corporativa e assuntos públicos.

Através do acordo de parceria iniciada há um ano, as duas consultoras começaram já a desenvolver em conjunto serviços de consultoria de comunicação a empresas a actuar no grande mercado de língua portuguesa e castelhana que compreende a Península Ibérica e a América Latina.

Com a integração operativa da Imago na Llorente & Cuenca, Madalena Martins e Carlos Matos juntam-se ao grupo de 11 sócios da consultora espanhola. «Todos os 13 sócios dedicam-se inteiramente a esta actividade tendo as suas áreas de especialização», acrescentou Carlos Matos. Ou seja, o mercado português passa a poder contar com a experiência não só dos sócios, mas de todos os 300 colaboradores que a Llorente & Cuenca tem em escritórios próprios (Barcelona, Bogotá, Buenos Aires, Lima, Madrid, México, Panamá, Pequim, Quito e Rio de Janeiro) e em empresas afiliadas (Bolívia, Chile, Venezuela e Uruguai). Para os actuais e futuros colaboradores da Imago é uma oportunidade para os talentos em áreas de especialização e em áreas geográficas já que o objectivo é que as agências trabalhem em estreita colaboração. «Podemos dar aos nossos colaboradores uma perspectiva de carreira», resume Carlos Matos. E nestes meses que trabalharam em conjunto já foi possível aos colaboradores da Imago sair do pessimismo em que o país está mergulhado ao trabalharem com clientes que estão noutras realidades e a inovar, conta Carlos Matos.

Os sócios da Imago-Llorente & Cuenca não esconderam que têm os olhos postos na perspectiva de oferecer o know how nas privatizações que vão ocorrer em Portugal no âmbito das medidas impostas pela Troika. Mas escusaram-se a revelar que passos estão a ser dados nesse sentido.

Saída de Pedro Reis

Pedro Reis anunciou na semana passada a sua saída da Imago. «O Pedro achou que tinha outros interesses e saiu», explicou Carlos Matos. Mas garantiu não haver qualquer relação entre a saída de Pedro Reis e a entrada da Llorente & Cuenca na estrutura accionista. Aliás, sublinha, «o Pedro esteve sempre connosco [Carlos Matos e Madalena Martins] a gerir todo o processo com a Llorente & Cuenca».

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...