IVDP investe 2,9 ME em promoção e internacionalização

O Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto (IVDP) traçou para 2013 o Plano de Promoção e Internacionalização (PPI) que passa pela aposta na formação, na comunicação digital e na concentração de mercados alvo. 2,9 milhões de euros será o valor a investir pelo IVDP em 2013, no âmbito de uma estratégia que inclui, pela primeira vez, a gestão da loja e dos solares.

De resto, o documento, tornado público esta semana, segue a lógica de acção instituída este ano, mantendo uma visão de trabalho a três anos, reorientando a acção para o território, reforçando a aproximação institucional à Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) e às embaixadas e mantendo a ligação ao conceito Wines of Portugal.

No âmbito do PPI o IVDP vai debruçar-se sobre o reforço da pedagogia e sobre a formação, dentro e fora de portas. No fundo, será feito um esforço “redobrado”, como informa o instituto à imprensa, em continuar a chegar “não só aos públicos profissionais, como sejam os alunos das escolas de hotelaria de todo o mundo (Portugal, França, Suíça, Brasil, EUA, entre outros) como também em potenciar a presença do Vinho do Porto junto do canal Horeca, reforçando o projecto ‘Saber Servir, Vender Melhor’”.

Esta iniciativa arrancou este ano para promover as boas práticas no serviço do Vinho do Porto, nos restaurantes e bares turísticos de gama média no Porto e no Douro. Entre Março e Outubro, o projecto levou os profissionais do IVDP a mais de 100 restaurantes, num total de duas dezenas de formações.

«Este é o caminho para que os portugueses melhor conheçam o Vinho do Porto», defende em nota enviada às redacções o presidente do IVDP, Manuel de Novaes Cabral. Até porque, reforça, «Portugal tem condições significativas para crescer no consumo».

O Plano de Promoção e Internacionalização tem ainda em vista a concentração da estratégia de promoção em mercados alvo, como o são a França, Reino Unido, Brasil, EUA, Canadá e Portugal. A par disso haverá, pela primeira vez, uma forte aposta na comunicação digital, de forma a “levar mais longe o nome dos vinhos do Porto e do Douro”, adianta o IVDP.

No PPI para 2013 é de destacar ainda o trabalho conjunto com a Wines of Portugal, no âmbito do qual o IVDP vai manter uma parceria em acções pontuais, em mercados nos quais actua. Contemplada está também uma autonomização das feiras, que deixam de estar agregadas a países e passam a valer por si. É o caso da Prowein e da Vinexpo. «Não faz sentido falarmos em acções nos mercados integrando as feiras pois estas, como são para o sector, atraem as atenções de todo o mundo e não só dos países onde decorrem», defende o presidente do instituto.

Outra das novidades é a integração da loja (no IVDP Porto) e dos solares (Lisboa e Régua) neste plano de actuação. Estes espaços assumirão, assim, “uma lógica de promoção e de internacionalização”, informa o IVDP. “Se até aqui eram tratados autonomamente, o IVDP quer aumentar as vendas, captando mais clientes através de acções de dinamização e de contacto com os operadores turísticos”, completa.

«Em 2012 deixei claro que a nossa estratégia seria adaptada consoante os resultados. Houve um cuidado muito grande, no decorrer destes meses, em avaliar todos os passos dados, em medir a repercussão das acções e em avaliar o eventual retorno. O plano de 2012 foi preparado e aprovado num prazo muito curto; o de 2013 já resume toda uma monitorização que nos deu indicações da actuação a seguir», remata Manuel de Novaes Cabral.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...