Há cada vez mais mulheres no cargo de director de Marketing

Quase metade (43%) dos Chief Marketing Officers (CMO) nos Estados Unidos da América, em 2019, eram mulheres, o que compara com os 36% verificados em 2018 e com os 28% de 2017. Os dados são da Spencer Stuart e, embora digam respeito à realidade do outro lado do Atlântico, poderão ser um indicador de que a liderança em Marketing se está a tornar mais inclusiva.

Entre os CMO que assumiram o cargo no ano passado, 48% eram mulheres. Também aqui se nota uma subida de 4% em relação a 2018 e um aumento de 10% face a 2017. O mesmo estudo destaca ainda uma aposta mais significativa por parte das empresas no factor diversidade: de todos os novos CMO, 19% pertence a uma minoria (étnica, por exemplo).

«É incrivelmente promissor ver o némero de mulheres no papel de CMO continuar a subir», afirma Greg Welch, head of Marketing, Sales & Communications da Spencer Stuart. «Também é encorajador que as empresas tenham contratado um grupo de CMO mais diverso. Esta tendência positiva tem de continuar durante o desenvolvimento da próxima geração de profissionais de Marketing», acrescenta.

A Spencer Stuart descobriu também que os directores de Marketing estão a passar menos tempo nas respectivas cadeiras. O tempo durante o qual um CMO assume funções passou de uma média de 43 meses para 41 meses, sendo que 60% fica no cargo durante 36 meses ou menos.

Contudo, os dados têm em consideração apenas o ano de 2019 e é possível que muito tenha mudado desde que a pandemia se instalou. «Como todos sabemos, vivemos num mundo muito diferente hoje e os CMOs viram os seus trabalhos mudar imenso», alerta Greg Welch.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...