Grupo Ageas Portugal: Há mais vida e futuro onde há arte e cultura

MARKETEER CONTENTS

“Há mais vida e futuro onde há arte e cultura”, foi com este mote que o Grupo Ageas Portugal organizou a conferência “Viver Cultura”, em conjunto com o jornal “Expresso”, no Coliseu Porto Ageas, subordinada ao tema “o papel do investimento privado na cultura nacional”.

Esta frase transmite na perfeição o posicionamento do grupo relativamente à importância que reconhece na cultura enquanto motor para a sociedade – é sinal de vida, de futuro, de responsabilidade para com a comunidade e sem ela não é possível uma sociedade evoluir. É esta a visão que guia o grupo, em cada parceria cultural que faz, desde o Coliseu Porto Ageas, ao Prémio Novos Talentos Ageas com a Casa da Música, ao apoio ao Festival Internacional de Música de Marvão até à mais recente parceria com o Teatro Nacional D. Maria II.

Isto quando, segundo o Eurobarómetro, os portugueses são dos cidadãos da União Europeia com menores taxas de participação em actividades culturais. “Falta de investimento, fraca aposta na educação e baixo poder de compra” são as razões que sustentam este panorama, dizem diversos especialistas e responsáveis aquando da publicação do estudo. Com 6% dos inquiridos em Portugal a terem uma actividade cultural frequente, contra casos como os da Suécia (43%), da Dinamarca (36%) e dos Países Baixos (34%), o Grupo Ageas considera que Portugal está, de facto, abaixo do aceitável.

Estes dados estatísticos levam o grupo a acreditar que o caminho que tem traçado com os parceiros, tornando a cultura e a arte acessíveis a todos, é fundamental para a democratização e descentralização da oferta cultural. E fazem acreditar também que é fundamental conseguir que a cultura e o mundo das artes sejam vistos como um bem acessível que está disponível de forma alargada. Para o grupo, este é um dos aspectos mais relevantes e onde as empresas e as marcas podem fazer a diferença enquanto promotoras e facilitadoras no acesso cultural, apoiando a criação de oferta e contribuindo desta forma para o aumento da procura.

Hoje, muitos dos eventos culturais dependem do apoio do sector privado, que ajuda a valorizar os artistas, a dar visibilidade a jovens talentos, que escolheram a arte como forma de expressão nas suas mais diversas formas, bem como a promover mais acesso à cultura, enquanto eixo fundamental para o desenvolvimento de qualquer sociedade. Mas cada marca tem um propósito, uma personalidade e uma forma de estar distintos.

Para o Grupo Ageas Portugal, o território da cultura e das artes, mais do que uma aposta estratégica, é uma escolha óbvia, precisamente por ver na cultura um encaixe perfeito com a sua actividade central: o mundo dos seguros – que nada mais é do que um mundo de protecção e de prevenção. Por isto, as pessoas são o centro da sua actividade: os clientes, os parceiros e todos os stakeholders. E isto tem tudo a ver com emoções, com momentos-chave da vida das pessoas, onde podem fazer a diferença. O mundo da cultura e das artes é também um mundo de emoções, de experiências, de momentos felizes, de criação e de expressão. Estes dois mundos estão ligados e, para o grupo, funcionam de forma complementar.

E as parcerias culturais são o melhor reflexo. Coliseu Porto Ageas: a promover a cultura na cidade Invicta Ter o Coliseu Porto Ageas como parceiro é, para a seguradora, um privilégio e motivo de orgulho. Pelo simbolismo, diversidade e qualidade da programação, bem como pela relação com a sociedade civil da cidade, que este símbolo da cultura portuense tem desenvolvido com evidente sucesso. Em 2019 foi assinalado o primeiro aniversário desta parceria, com um Open Day Solidário, tendo a Fundação Ageas convidado várias instituições de solidariedade social a visitar a sala de espectáculos e bastidores bem como realizar workshops de dança, canto e movimento.

Concerto Exclusivo Ageas: momento memorável com casa cheia

Na sala do Coliseu Porto Ageas realizou- -se o Concerto Exclusivo Ageas com a actuação da Orquestra Metropolitana de Lisboa, dirigida pelo maestro Pedro Amaral e com a participação do solista João Diogo Leitão, assistido por cerca de duas mil pessoas, entre colaboradores, mediadores, clientes, parceiros e familiares. Nelson Machado, CEO Vida e Bancassurance do Grupo Ageas Portugal, deu as boas- -vindas aos convidados, dando destaque à história do Coliseu Porto Ageas e à importância desta parceria. Focou igualmente a presença da Cais Recicla que, através da Fundação Ageas, associou-se a este evento para a oferta de um marcador de livro (feito de material reciclado) a todos os presentes.

Com esta iniciativa em concreto, o Grupo Ageas Portugal contribuiu para a capacitação e autonomização dos artesãos que criaram o marcador (provenientes de populações excluídas). Teatro Nacional D. Maria II e Rede Eunice Ageas: de Lisboa para o País Em Lisboa, a parceria com o Teatro Nacional D. Maria II é um dos mais recentes exemplos que demonstra a clara aposta do Grupo Ageas Portugal na cultura.

Esta parceria materializa-se através de dois grandes projectos: a Rede Eunice Ageas e o Prémio Revelação Ageas Teatro Nacional D. Maria II. A Rede Eunice Ageas é uma rede de circulação de espectáculos produzidos ou co-produzidos pelo Teatro Nacional D. Maria II, que se associa a teatros e cineteatros municipais (Bragança, Cartaxo, Portalegre e Portimão), para garantir a oferta de teatro de qualidade com regularidade em locais onde, em condições normais, seria mais complicado. Em parceria com o Teatro Nacional D. Maria II, foi ainda criado o Prémio Revelação Ageas Teatro Nacional D. Maria II, que vai premiar jovens talentos na área do teatro.

Esta colaboração visa contribuir para o aperfeiçoamento do sistema de educação artística e de formação profissional em teatro através da promoção e reconhecimento dos talentos emergentes no panorama artístico nacional, motivando os jovens a desenvolverem o seu percurso profissional nesta área e no País. Festival Internacional de Música de Marvão: no topo do sonho Um sonho tornado real por muitos que vai além da música e da magia criada em noites de Verão num castelo deslumbrante e com o Parque Natural da Serra de São Mamede como pano de fundo.

Pelos palcos de Marvão passaram mais de 600 artistas de 20 países. Uma diversidade de músicos que tornam este evento único. Este é mais do que um festival apoiado: uma clara aposta no interior do País, através da promoção da cultura e da música clássica. E daqui para a frente, como vai ser? O Grupo Ageas Portugal dará seguimento ao trabalho desenvolvido: continuará a valorizar e apoiar artistas, jovens talentos cujo trabalho de criação, o percurso de investigação, a força, a determinação e a resiliência pretende acompanhar.

Reforçará o seu papel de activista na sociedade, apoiando projectos de descentralização, acessibilidade e inclusão. Por último, manterá o seu compromisso, a nossa entrega. E porquê? Porque “Há mais vida e futuro onde há arte e cultura”.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...