Geração Z passa quase três horas por dia nas redes sociais

85% das crianças e jovens da Geração Z (nascidos entre 1995 e 2000) em Portugal liga-se à internet diariamente para utilizar as rede sociais, enviar e receber emails, comunicar em tempo real com outras pessoas ou jogar. O número é apontado pela Milenar, agência de influenciadores que se juntou à Universidade Nova de Lisboa para conhecer melhor os hábitos de quem já nasceu na era digital.

O mesmo estudo mostra que 79% usa as redes sociais para manter contacto com os amigos, sendo que 69% utiliza o smartphone para aceder a essas mesmas redes sociais. Quanto ao tempo passado em plataformas como Instagram, Facebook ou TikTok, a média é de 2 horas e 55 minutos por dia.

“É também a geração mais propensa a ser influenciada para a compra de um produto face aos conteúdos que vêem online – cerca de 1.3 vezes mais – principalmente se estes forem recomendados por alguém que seguem e que seja o seu influenciador favorito”, aponta ainda a Milenar. Cerca de 18% da Geração Z diz descobrir marcas através de celebridades ou figuras públicas.

Quanto às redes sociais mais utilizadas para procurar produtos e marcas, o Instagram surge como líder destacado (71%), à frente do YouTube (31%) e do Facebook (31%). Ainda assim, os jovens consideram que existem alguns pontos negativos neste tipo de plataformas, nomeadamente a possibilidade de se cruzarem com informação falsa, repetição de conteúdos com publicidade, parcerias e promoção de marcas sem sentido e alguma superficialidade.

Moda (35%) é a categoria de conteúdos predilecta pelos inquiridos da Milenar e da Universidade Nova de Lisboa. Seguem-se desporto (48%), gaming (23%), fotografia (52%), lifestyle (42%), eco friendly lifestyle (14%), motivation (14%) e beleza (14%). Quanto ao que leva a Geração Z a procurar conteúdos nas redes sociais, o entretenimento lidera (88%). Só depois surgem motivos como informação e aprendizagem (72%) ou inspiração (36%).

Cinco em cada 13 destes indivíduos revelam ter sentimentos positivos em relação aos influenciadores, considerando-os “uma companhia”. A Milenar refere ainda que 8% admite confiar mais num influenciador do que em celebridades, 14% procura a opinião de um influenciador quando quer comprar um produto ou adquirir um serviço, 30% já comprou um produto aconselhado por um influencer e 18% acredita que o conteúdo publicitário feito por um influencer parece mais real e autêntico do que feito por uma celebridade.

Perante estes números, a Milenar conclui que a Geração Z é mais susceptível a comprar um produto se este for recomendado pelo seu influenciador favorito. A agência considera também que são mais fiéis às marcas, “embora rompam com os modelos de consumo tradicionais”: são mais exigentes, sendo capazes de confiar num influenciador, mas fazendo-o com mais consciência.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...