“Freelancer do Dia CCP by Marketeer”: André Peixoto

É difícil sobressair por entre dezenas de curriculos. A partir de certa altura, os nomes confundem-se e aquele que poderia ser o par perfeito para um projecto na calha acaba por fugir. Partindo do directório lançado pelo Clube Criativos Portugal (CCP), a Marketeer propõe conhecer melhor alguns dos talentos freelancers nas áreas da criatividade e comunicação.

André Peixoto (graphic & motion designer) é o mais recente protagonista da rubrica “Freelancer do Dia CCP by Marketeer”, que apresentará, duas vezes por semana, exemplos de quem decidiu aventurar-se por conta própria.

Qual é a melhor coisa que já fizeste?

A melhor coisa que fiz… Terei de dizer o reel da Duall Studio. Foi um desafio enorme ter de organizar os trabalhos e pensar como apresentálos. Da parte deles, tive liberdade criativa para explorar diferentes tipos de animação para a apresentação de cada trabalho.

A música foi composta por outro freelancer, o que fez o projecto ser ainda mais autêntico e original. Acaba por ser o primeiro trabalho onde pude mostrar realmente do que sou capaz, não a nível visual, mas de movimento.

Qual é o projecto que queres fazer a seguir?

Tenho muitos projectos em mente e coisas que gostava de fazer. Uma delas seria algo relacionado com a música, algo que me cativa muito criativamente. Gostava de poder lançar um álbum de instrumentais e trabalhar toda a imagem gráfica e animada do mesmo – conhecendo todo o conceito de cada música faria todo o sentido. No entanto, gostava também de trabalhar visualmente para músicos, conhecer a música deles e explorar a partir daí. Em relação a marcas, como animador, gostaria de um dia poder ter posters na rua animados, com um conceito à volta disso, da marca em movimento. Um dia em que os mupis e outdoors o possibilitarem, sendo que no mundo digital já o é possível.

Porque é que te devem contratar?

Acho que o que tenho de mais valioso é a noção de movimento. Ter estudado animação tradicional deu-me essa sensibilidade para saber como certas coisas se devem movimentar, quando, onde e porquê. Tenho muita noção de ritmo e sensibilidade visual, sendo que tanto posso desenhar como tratar bem os desenhos de outros. Gosto muito de dar vida a gráficos estáticos, sendo meus ou não. Costumo dizer uma frase: “I’m not a copywriter, but I’m the guy who’s gonna treat your copy right”.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...