E se as peças de roupa do seu filho tivessem uma nova vida?

Um projecto de venda de roupa usada que pode ganhar uma nova vida. É este o novo desafio em que se lança a Knot com o re.love. A ideia é vender peças Knot usadas que assim podem ter uma nova vida, numa nova família.

O re.love tem início este mês com o período de angariação de roupa, arrancando em Setembro com a venda ao público das peças angariadas – através da loja online e em lojas seleccionadas.

«O re.love pretende relembrar que todas as peças de roupa nascem com uma história no seu design, para depois acompanharem o crescimento de uma criança nas suas brincadeiras e momentos com amigos e família. Mas também que a história dessas peças não tem de acabar quando esta deixa de servir. São peças que já foram amadas, mas que podem voltar a sê-lo numa nova família, e criar assim novas memórias e novas histórias», afirma Carla Caetano, founder and partner da Knot.

A roupa Knot usada, mas “como nova”, pode ser entregue em qualquer loja Knot, sendo depois cuidadosamente lavada e etiquetada para voltar a ser vendida.

Trata-se de um projecto a pensar no Planeta, que faz repensar a forma como se consome moda e que promove não só a sustentabilidade como também o apoio a causas sociais, através de uma parceria com a Fundação do Gil que receberá 5% destas vendas.

Carla Caetano explicou à Marketeer os moldes em que funcionará o projecto.

Há quanto tempo começou a ser desenhado este projecto de dar uma segunda vida às peças Knot?

A Knot desde sempre que tem como missão valorizar a simplicidade de se ser criança, das suas brincadeiras e aprendizagens, gerar boas memórias em família e inspirar relações positivas e duradouras.

Enquanto marca, há muito tempo que maturamos de que forma podemos fazer a diferença e contribuir para um mundo melhor.  Este projecto começou a ser desenhado há cerca de um ano e vem juntar um conjunto de propósitos que nos são muito queridos. A sustentabilidade: devemos produzir e consumir moda de forma diferente. Uma peça de roupa produzida com qualidade pode (e deve!) ter várias vidas. A partilha: queremos facilitar aquilo que já é feito em muitas famílias, com as peças que passam entre irmãos ou de geração em geração. A ligação com o cliente: queremos envolver mais o cliente Knot com a marca, muito para além da compra “tradicional”. E a solidariedade: queremos contribuir de volta para sociedade, através da doação de cerca de 5% das vendas destas peças a instituições parceiras com um propósito social.

Finalmente, há também a vontade de ir ao encontro de um novo tipo de consumidor, mais jovem, que compra de uma forma ética e que privilegia formas alternativas de consumo, congruentes com as suas atitudes e valores, nomeadamente a sustentabilidade.

Esta era uma solicitação que sentiam por parte dos clientes?

Sentimos que é uma tendência de consumo de moda, que já se mostra muito visível em mercados como os Estados Unidos, por exemplo, e que também em Portugal começa a notar-se. Começa a ser natural ver roupa em sites e plataformas de compra e venda de artigos usados.

Este projecto dirige-se mais directamente a um novo tipo de consumidor, mais jovem, que já consome moda de uma forma diferente. Acreditamos, no entanto, que com o tempo os clientes mais tradicionais também irão aderir. É tudo uma questão de tempo.

A questão da sustentabilidade era já uma preocupação da marca? Como se manifestava?

A Knot sempre foi natural e genuinamente muito atenta à Sustentabilidade. Sempre privilegiou a utilização de materiais naturais e a produção local com parceiros portugueses. As nossas peças devido à sua elevada qualidade sempre foram usadas por várias gerações, partilhadas entre familiares. Ou seja, sempre fez parte do ADN da marca, embora nunca tenha sido um elemento de comunicação explícito.

De que forma serão as peças entregues avaliadas para garantir a qualidade a quem compra?

O nosso filtro é muito simples: as peças terão que estar “como novas”. Ou seja, pode-se notar que o tecido foi manuseado, usado, e que o artigo já foi lavado, mas não pode apresentar qualquer sinal visível de que esteja danificado. A única excepção é a questão das etiquetas de composição e instruções de lavagem; iremos aceitar peças sem estas etiquetas porque há pais que as retiram como rotina. Quando a peça for colocada à venda, iremos colocar uma etiqueta exterior com estas informações. As peças knot re.love serão cuidadosamente lavadas, de forma a garantirmos uma utilização segura.

A entrega das peças será feita em qualquer loja da marca?

Sim, em qualquer das nossas lojas. Em todo o caso, iremos manter a informação actualizada sobre os pontos de recolha no nosso site.

Os clientes que entregam as peças recebem uma contrapartida em saldo. De que valores estamos a falar? Existe uma tabela?

Sim. Vai existir uma tabela disponibilizada no site e nas lojas, e o cliente sabe com antecedência quanto é que vai receber em saldo knot+ por cada tipologia. Para nós, a transparência é fundamental. Proporcionalmente, o cliente recebe tanto mais saldo quanto maior for o pvp do artigo. Queremos salientar que a compensação em saldo que damos ao cliente não representa um “pagamento”, mas antes um incentivo, assim como o é a certeza de que estão a contribuir para o prolongamento da vida da peça e a ajudar a jusante a Fundação do Gil.

A venda das peças obedecerá ao conceito das colecções Primavera/Verão e Outono/Inverno ou estarão disponíveis misturadas?

Cada vez mais a divisão entre estações é mais ténue e por isso não vamos fazer uma distinção muito rígida.

O gato é o ícone do projecto. Porquê?

Na brincadeira, costuma-se dizer que um gato tem muitas vidas… tal como as peças de roupa que também podem ter várias vidas. Para além de que é um animal adorável que une crianças e adultos.

Porque é que a instituição escolhida foi a Fundação do Gil? Será apenas por um período, rodando depois para outras instituições, ou a ideia é ficar sempre ligado a esta fundação?

O re.love estará sempre associado a uma causa social. Queremos estabelecer parcerias duradouras, mas também faz sentido associarmo-nos a causas diferentes ao longo do tempo. Começamos com a Fundação do Gil que será nosso parceiro no primeiro ano, mas possivelmente podemos vir a fazer parceria com outras instituições.

A Fundação do Gil tem como missão ajudar crianças em risco social e/ou clínico, promovendo o seu bem-estar clínico, social e emocional, através da criação de estruturas de apoio que lhes permitam melhorar a sua qualidade de vida, acelerar, em alguns casos, o regresso à família, e sonhar com a possibilidade de recuperar em pleno os seus projectos de vida.

Relaciona-se com a Knot pela promoção do bem-estar da criança e o apoio às respectivas famílias num momento ou num contexto de fragilidade. A Fundação do Gil procura oportunidades e soluções em condições desafiantes e essa abordagem é muito corajosa e positiva.

Texto de Maria João Lima

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...