Com a realidade aumentada

raA linha que separa a realidade virtual da real é cada vez mais ténue. Agora imagine uma tecnologia que possibilite a interacção entre elementos do mundo real com elementos do mundo virtual, em frente dos seus olhos, com a qual pode interagir de forma natural e espontânea como se fizesse parte do mundo real. Consegue imaginar? Chama-se Realidade Aumentada (RA) e tem conquistado marcas e empresas em todo o mundo. Seja na publicidade, no ponto de venda, em business cards, ou até mesmo para ver como os móveis ficam lá em casa antes de os comprar ou, ainda, para pôr as crianças a interagir com um filme do Shrek. Ficção? Não! É real. Em Portugal já foi usada pela Delta Cafés no ponto de venda. Quanto a campanhas de publicidade ainda não foram exploradas no mercado português. Mas como a internet é global, as mesmas campanhas podem ser vistas, experienciadas e sentidas… basta ter um computador, uma webcam e talvez uma impressora para imprimir o código algoritmo da RA, que dará origem à imagem virtual no mundo real.

Ivan Franco, director de I&D da YDreams, explica que a RA não é mais do que uma «técnica de computação gráfica, que consiste na superimposição de uma imagem sintética sobre a imagem real capturada por uma câmara de vídeo». Simples? Erik Manley, leader worldwide digital media da GE, simplifica dizendo que pode ser descrita como um “holograma digital”, que, não sendo «um holograma na verdadeira acepção da palavra, permite à pessoa experienciar com aquilo que parece ser um holograma no ecrã do seu computador».

E não é ficção científica. Ivan Franco conta que «um dos sonhos da YDreams, desde a sua fundação, foi a de um dia serem capazes de ser actores no seu filme favorito. Nessa altura, parecia uma ideia apenas possível na área da ficção, como no filme do Roger Rabbit. Curiosamente, parece que se está hoje mais perto do que nunca»!

(…)

Por Susana Baptista Dias

PARA LER O ARTIGO NA INTEGRA CONSULTE A EDIÇÃO IMPRESSA (MARKETEER Nº158)

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
7 formas para se voltar a apaixonar pelo seu trabalho
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo