Campeonato do Mundo vai impactar economia brasileira em 68 MME

O Brasil vai servir de palco, em 2014, ao Campeonato do Mundo da FIFA, uma das competições desportivas mais relevantes da actualidade. Até lá, serão contabilizados anos de investimentos em infra-estruturas, mobilidade urbana, qualificação de pessoal e renovação de várias áreas, que impactarão a economia do país em 68 mil milhões de euros, até 2019.

Tanto o sector público como o privado se estão a preparar para receber 3,7 milhões de turistas brasileiros e estrangeiros que deverão gerar, no período do evento, cerca de 3,5 mil milhões de euros para a economia brasileira.

Neste contexto, o Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) pretende investir na comunicação da marca Brasil. Como informa a entidade em comunicado, o objectivo é aproveitar “a grande oportunidade de mostrar ao mundo toda a diversidade natural e cultural do país, divulgar os atractivos turísticos das cidades que receberão os jogos e tornar o Brasil muito mais conhecido e admirado pelo mundo”. É que além do Campeonato do Mundo o Brasil vai receber os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016, pelo que são estes eventos internacionais que permitirão a alavancagem da estratégia de projecção do destino.

O Campeonato do Mundo de 2014, em específico, é visto pelo Governo Federal brasileiro como “uma oportunidade única de transformar e reforçar a imagem do país no exterior”.

De facto, os investimentos em cursos visam “responder à procura turística do mundial, que aumentará substancialmente com a realização do evento – estima-se a entrada de cerca de 600 mil turistas estrangeiros, considerando somente os 30 dias de jogos”, indica a Embratur em nota de imprensa. O evento beneficiará ainda o sector turístico, através de hotéis e programas de capacitação profissional, e a área de infra-estruturas, onde se inserem aeroportos, estradas e segurança pública.

O mercado local de trabalho é outras das vertentes que não ficará alheia ao evento mundial de futebol. De acordo com o Embratur, as estimativas apontam para que a competição crie mais de 700 mil postos de trabalho, entre permanentes e temporários.

Recorde-se que o Campeonato do Mundo e os Jogos Olímpicos e Paralímpicos são apenas alguns dos eventos que decorrerão no Brasil, no espaço de uma década. As iniciativas começaram a ser assinaladas com a disputa dos Jogos Militares e com organização da Rio+20, e prosseguem com a Copa das Confederações em 2013, o Campeonato do Mundo da FIFA em 2014 e, finalmente, com os Jogos Olímpicos e Paralímpicos em 2016.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...