MSC Cruzeiros: Rumo ao futuro

Em Agosto de 2020, e após cerca de seis meses de suspensão temporária da indústria devido à pandemia de Covid-19, a MSC Cruzeiros tornou-se a primeira grande companhia de cruzeiros do mundo a navegar a nível internacional com base num protocolo de Saúde e Segurança abrangente, forte e rigoroso, aprovado por inúmeras autoridades nacionais e regionais na Europa. Desde então, a MSC Cruzeiros já transportou em segurança mais de 40 mil passageiros, sobretudo a bordo do MSC Grandiosa, que foi o primeiro navio da companhia a regressar às operações.

Sempre com os olhos postos no futuro, a MSC Cruzeiros procura constantemente inspiração para a experiência a bordo, investigando novas formas de utilização da tecnologia mais recente para a criação de algo único, seja para melhorar a saúde e a segurança dos seus hóspedes e tripulação, seja para o desenvolvimento de inovações a bordo e para elevar a oferta dos hóspedes a um nível superior.

Como compromisso adicional para o bem-estar dos hóspedes e da tripulação, os dois novos navios que serão inaugurados pela companhia em 2021, o MSC Virtuosa e o MSC Seashore, chegarão equipados com tecnologias ainda mais inovadoras, de modo a garantir que o bem-estar dos passageiros e da tripulação seja sempre a principal prioridade.

Bem-vindo ao MSC Starship Club

No âmbito desta aposta na inovação, a MSC Cruzeiros apresentou recentemente o Rob, o primeiro bartender robótico humanóide que vai estar a bordo de um cruzeiro. O robot vai fazer parte da tripulação do MSC Virtuosa, quando este começar a navegar, a partir de 16 de Abril.

Esta é apenas uma das novidades do MSC Starship Club Lounge, um espaço que pretende proporcionar aos passageiros do MSC Virtuosa uma experiência futurística imersiva. Inspirada pela visão da MSC Cruzeiros da nave espacial do futuro – MSC Starliner One -, trata-se de uma experiência integrada de bar e entretenimento, equipada com tecnologias de última geração, incluindo hologramas 3D, uma parede de arte digital imersiva e uma mesa interactiva digital de 12 lugares.

Quanto ao Rob, irá misturar e servir cocktails exclusivos, alcoólicos e não alcoólicos, e inúmeras bebidas personalizadas, enquanto interage com os convidados. É que este barman robótico humanóide mexe os braços, corpo e cabeça de uma forma bastante natural – dando a sensação de que um verdadeiro barman está a preparar o cocktail -, tem uma voz própria, fala oito línguas (incluindo português) e até simula as expressões humanas. «As aptidões e a capacidade de resposta emocional de Rob, juntamente com bartenders vestidos como se tivessem acabado de sair de um filme de ficção científica, com o suporte do ambiente e da tecnologia envolvente, vão garantir que o MSC Starship Club seja uma atracção de visita obrigatória para todas as idades», sublinha a MSC Cruzeiros.

De acordo com a companhia, os hóspedes poderão usar cockpits digitais verticais para fazerem os seus pedidos. Depois, o Rob irá pôr mãos à obra e utilizar as suas aptidões robóticas para preparar os cocktails – servindo bebidas alcoólicas, sumos e batidos; agitando, criando ou mexendo, enfeitando as misturas. O robot utiliza ainda o seu rosto LED para expressar diferentes emoções faciais.

A preparação do cocktail será exibida por intermédio de monitores digitais dentro do local e uma faixa LED ao género de fita adesiva por cima da ilha robótica. Os cocktails serão servidos em copos futuristas personalizados, que os hóspedes podem levar consigo como uma lembrança da experiência no MSC Starship Club. Os hóspedes poderão regressar ao clube inúmeras vezes durante o cruzeiro, desfrutando de uma nova interacção com Rob a cada regresso.

«O Rob adora interagir com humanos! Não é uma máquina fria, mas sim um humanóide que consegue interagir com os hóspedes através de uma linguagem espirituosa e envolvente, alterando as expressões faciais e, se estiver com disposição para tal, até demonstrar passos de dança. Ele gosta de ser o centro das atenções, algo que faz ao contar piadas, adivinhas e curiosidades espaciais a todos aqueles que o rodeiam», descreve a MSC Cruzeiros. Além disso, quando o Rob não está a preparar cocktails, pode analisar o ambiente em seu redor e reconhecer os hóspedes que circulam, através de um sistema inteligente de reconhecimento de movimento humano, e será capaz de cumprimentá-los e interagir com estes.

Quem quiser interagir com o Rob não tem de esperar muito: o MSC Virtuosa tem chegada prevista a Lisboa em Setembro.

Além do MSC Starship Club Lounge, o MSC Virtuosa (que tem 331 metros de comprimento) conta com 19 decks com o nome de compositores famosos; 21 bares, quatro restaurantes principais e cinco restaurantes de especialidade; um teatro com 945 lugares; 12 categorias distintas de camarotes, incluindo 190 camarotes familiares; cinco piscinas, incluindo uma piscina com magrodome; uma Ponte dos Himalaias, que proporciona um percurso de corda 80 metros acima da linha de água; e 1168 metros quadrados de área comercial com 11 lojas distintas.

Compromisso pela sustentabilidade

Além do avanço que representam a nível de tecnologia e da experiência do consumidor, os dois novos navios da MSC Cruzeiros que serão inaugurados em 2021 – o MSC Virtuosa e o MSC Seashore – vêm reforçar o compromisso ambiental da companhia.

Com efeito, os dois navios estão equipados com uma grande variedade de tecnologias e equipamentos ambientais de última geração, que minimizarão o seu impacto sobre o ambiente. Desde logo, ambos apresentam sistemas híbridos de limpeza de gases de escape (EGCS) e sistemas de redução catalítica selectiva (SCR) de ponta, alcançando uma redução de 98% das emissões de óxido de enxofre (SOx) e reduzindo as emissões de óxido de nitrogénio (NOx) em 90%.

Os sistemas de tratamento de águas residuais dos dois navios foram projectados de acordo com a Resolução MEPC 227 (64) da Organização Marítima Internacional e atingem padrões de purificação que são «mais elevados do que a maioria das instalações de tratamento de águas residuais em terra», garante a MSC Cruzeiros.

Tal como todos os novos navios da companhia, o MSC Virtuosa e o MSC Seashore serão equipados com ligação de energia shore-to-ship, permitindo que se liguem às redes de energia locais enquanto estão atracados em portos onde esta infra-estrutura está disponível. Isto possibilita minimizar o uso do motor no cais, levando a uma redução substancial das emissões quando os navios estão próximos de áreas urbanas. Ainda na área da eficiência, e à semelhança dos outros navios da frota da companhia, os novos navios incorporam uma ampla gama de equipamentos que ajudam a reduzir e a optimizar o uso do motor, tais como uma ventilação inteligente e sistemas avançados de ar condicionado com circuitos automatizados de recuperação de energia, que redistribuem o calor e o frio para a redução da procura. Além disso, usam iluminação LED controlada por sistemas de gestão inteligentes, para melhorar ainda mais a poupança energética.

A pensar na protecção da vida marinha, ambos os navios estarão equipados com um sistema de gestão de ruído irradiado subaquático, com espaços destinados ao casco e à casa das máquinas, que minimizam o impacto sonoro acústico, reduzindo os seus potenciais efeitos na fauna marinha, principalmente em mamíferos marinhos.

«O nosso objectivo a longo prazo é atingir uma operação global de cruzeiros com impacto zero e este é o caminho em que nos encontramos neste momento», assegura a MSC Cruzeiros.

Este artigo faz parte do Caderno Especial “Costumer Experience”, publicado na edição de Fevereiro (n.º 296) da Marketeer.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...