Jordão: Aumentar a conveniência no retalho

Sabia que já pode encomendar produtos alimentares online e recolhê-los em cacifos automáticos no seu supermercado de eleição? A inovação é da responsabilidade da Jordão, empresa portuguesa especializada em equipamentos de refrigeração, que está no centro da transformação digital do sector do retalho alimentar, em Portugal e além das fronteiras nacionais.

A inovação está no ADN da Jordão, que conta com quase 40 anos de experiência no mercado, mas tem sido acelerada sobretudo desde 2019, altura em que a companhia criou a marca Jordao Innovcool, que agrega soluções e produtos inovadores, que recorrem às mais avançadas tecnologias – como Inteligência Artificial (IA) e Internet of Things (IoT) – para satisfazer as necessidades do retalho alimentar e do canal Horeca. É o caso, então, dos cacifos automáticos Click & Collect: lançados no mercado em Fevereiro do ano passado, estes cacifos permitem aos consumidores recolherem os seus produtos alimentares com a máxima conveniência, a qualquer hora, evitando assim filas de espera e reduzindo o risco de contágio da Covid-19.

Para os retalhistas, as vantagens são também evidentes: trata-se de uma solução totalmente ajustável ao espaço disponível e às necessidades de cada negócio, e é um equipamento plug-in, portanto, fácil de instalar em qualquer lugar. Além disso, oferece ainda a possibilidade de melhorar a logística de entrega de encomendas, reduzindo o tempo e os custos associados (incluindo mão-de-obra). Tudo isto num serviço 24/7.

A inovação já estava em desenvolvimento antes do eclodir da pandemia, mas acabou por ganhar ainda mais relevância com a crise sanitária. «Longe de adivinharmos a pandemia de Covid-19, mas cientes da crescente importância do e-Commerce para o retalho alimentar, iniciámos em 2019 o desenvolvimento dos cacifos automáticos Click & Collect, específicos para recolha de encomendas de produtos alimentares. Apesar da baixa penetração do e-Commerce nos alimentos frescos, congelados e quentes, era para nós claro que esta categoria ia crescer», afirma Joana Lobo, directora de Investigação & Desenvolvimento (I&D) da Jordão. «Por motivos de conveniência e de segurança, os consumidores experimentaram e aderiram à compra de alimentos online, cujas vendas dispararam com a pandemia e a perspectiva é que continuem a crescer nos próximos anos», reitera a responsável.

Além dos cacifos automáticos, a gama Jordao Innovcool conta também, até ao momento, com a solução United Buy Bye, uma micro-store inteligente 24/7, sem filas, que permite aos consumidores desbloquearem com o telemóvel as portas do expositor, escolherem e retirarem os alimentos das prateleiras. Trata-se de uma solução desenvolvida em parceria com a startup Reckon.AI. «Em 2021, vamos continuar a reforçar a nossa oferta de soluções inteligentes, participando activamente na transformação digital do retalho, e a apresentar equipamentos e soluções que permitam reduzir o consumo de energia e a pegada de carbono», garante Joana Lobo.

Inovação à prova de crise

Além dos já referidos cacifos Click & Collect e da micro-store United Buy Bye, outro dos produtos próprios da Jordão que mais se destacou em 2020 foi o Futuro 2, uma nova gama de expositores verticais com muito baixo consumo de energia. Trata-se de uma gama inovadora que coloca a visibilidade, a promoção dos produtos dos retalhistas e a poupança de energia no topo das prioridades. «Neste novo mural, explorámos ao máximo a exposição dos bens alimentares para que o consumidor tivesse uma visão mais clara da oferta do retalhista, sem prejuízo das condições de conservação, graças a um facing totalmente transparente, livre de elementos técnicos (molduras ou perfis)», frisa a directora de I&D da Jordão.

Disponível em versões para alimentos refrigerados e congelados e em duas profundidades (standard e slim), o mural Futuro 2 é adaptável a todos os formatos de negócio, sejam pequenos negócios de proximidade, lojas de conveniência ou grandes superfícies. Além disso, graças à integração de um sistema termodinâmico evoluído e à utilização de componentes de elevada eficiência, o expositor atinge a classificação “A” – a classe mais elevada de eficiência energética.

Fruto deste investimento em I&D, a Jordão dispõe hoje de uma oferta integrada de linhas e modelos que permite responder totalmente às diferentes necessidades de exposição e de conservação dos seus clientes, desde a Grande Distribuição ao retalho de proximidade, passando pelo canal Horeca. «Encontram na nossa oferta uma solução 360° para as diferentes necessidades das suas lojas e do seu negócio, com um design diferenciador que garante a máxima promoção e visibilidade dos produtos, o que é muito relevante para as vendas. Distinguimo-nos também pela customização e a co-criação de equipamentos e de soluções que respondem aos requisitos individuais», explana.

Num contexto negativo provocado pela pandemia de Covid-19, em que a diminuição de vendas foi transversal a todas as categorias de produtos – sobretudo no canal Horeca, que representa cerca de metade do negócio da Jordão -, a inovação e os novos produtos lançados pela empresa foram fundamentais para contrariar o sentimento do mercado e impulsionar vendas em 2020. «A crise pandémica está a ter um fortíssimo impacto no canal Horeca, que ainda não é totalmente previsível. Em 2020, tivemos uma redução de 20% nas vendas, sobretudo devido às quebras nos meses de Abril e Maio, que não foram recuperáveis. Pensávamos que 2021 seria um ano de mudança, no entanto, verificamos que a pandemia vai ter um impacto mais prolongado e profundo na economia », assume Joana Lobo.

Não obstante estas dificuldades, no plano internacional a companhia agarrou novas oportunidades em mercados que estavam em prospecção ou em processo de colaboração mais acelerado, como é o caso da Holanda, Bélgica, Suíça, Israel, Canadá ou Colômbia. Quase 40 anos depois de ter iniciado o seu processo de internacionalização, a Jordão tem hoje uma forte presença internacional, com destaque para o mercado europeu, mas também a América do Norte e do Sul, o Médio Oriente e a Ásia.

Foco na sustentabilidade ambiental

A sustentabilidade é outro dos pilares da estratégia da Jordão, ou não tivesse sido a primeira empresa nacional do sector a certificar o seu sistema de gestão ambiental, logo em 2005. «Dezasseis anos volvidos, mantemos o foco: somos produtores de energia renovável, reduzimos o impacto ambiental do nosso processo produtivo e das nossas instalações, e antecipámos a adopção da legislação europeia que visa a sustentabilidade ambiental, como a utilização de gases de baixo potencial de aquecimento global (GWP)», sublinha Joana Lobo.

A empresa de Guimarães tem feito um grande investimento na investigação e desenvolvimento de soluções eficientes, que permitem aos retalhistas economias significativas nas suas facturas de energia. Hoje, toda a gama da Jordão está preparada para a utilização dos chamados gases naturais que, além da redução do impacto ambiental, aportam também a diminuição do consumo. Além disso, diferentes soluções incorporam componentes eficientes, como iluminação LED ou ventiladores de baixo consumo.

Ainda no âmbito da sustentabilidade, a empresa apresentou, no início deste ano, a Cork Core, uma solução de isolamento em cortiça 100% natural e reciclável, disponível em toda a gama, que substitui o poliuretano injectado no isolamento térmico dos equipamentos, garantindo uma excelente performance e uma maior durabilidade. «Ao utilizarem estes modelos com isolamento térmico em cortiça, as insígnias do retalho alimentar e do canal Horeca podem reduzir a sua pegada de carbono, reforçar os valores ambientais da marca junto dos consumidores e contribuir para uma causa maior: o nosso planeta», frisa a responsável.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...