Cabeleireiros e barbeiros criam movimento: “Estamos por um fio”

Trabalhadores do sector dos cabeleireiros e barbearias juntaram-se a consumidores que sentem falta destes espaços para apelar à sua reabertura. “Estamos por um fio” apresenta-se como um movimento espontâneo no sentido de consciencializar a opinião pública e os decisores políticos para a importância de voltar ao trabalho já a partir de 1 de Março.

Em comunicado enviado às redacções, o movimento indica que os salões são “comprovadamente espaços seguros” e que representam “parte de um tecido empresarial composto por micro empresas familiares em sério risco de verem a sua subsistência hipotecada”.

O manifesto de “Estamos por um fio” aponta para 26 mil pessoas a trabalhar neste sector em Portugal, com um contributo de 1% para o PIB nacional. Ao todo, são mais de 10 mil salões que desde 15 de Janeiro se encontram de portas fechadas.

O movimento lembra ainda que o sector soube seguir as recomendações e as novas regras das autoridades de saúde, mas que os esforços não são agora reconhecidos – incluindo o investimento realizado na adaptação de infra-estruturas.

“Nem mesmo o facto de os portugueses se sentirem seguros nas nossas instalações, e cada vez mais afectados pelo decréscimo de auto-estima que esta medida lhes tem infligido, demoveu os nossos governantes. O sector une-se em defesa da sua sustentabilidade, sem em nenhum momento desvalorizar a importância e dever que todos nós, portugueses, temos no combate à pandemia”, indica ainda o movimento.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...