Black Friday e Natal: portugueses querem gastar menos do que em 2019

Dois dos maiores picos de consumo do ano chegam com exigências diferentes devido à Covid-19. Há quem espere o ano inteiro por estes momentos e aproveite a “sexta-feira negra” para adiantar compras de Natal. A DECO Proteste foi saber como os portugueses planeiam gerir os seus gastos.

Apenas 21% dos inquiridos prevê fazer compras no período da Black Friday deste ano (fim-de-semana de 27 a 29 de Novembro), menos 20%, aproximadamente, face a 2019. No que ao Natal diz respeito, a história é outra: 85% pretende salvar o espírito natalício das garras da pandemia, dando presentes. No entanto, apesar de elevada, a percentagem também diminui relativamente a 2019, ano em que atingiu os 91 por cento.

Além disso, a maioria dos portugueses inquiridos pretende gastar menos na Black Friday, face a 2019. No entanto, no Natal, as percentagens dividem-se entre manter as despesas semelhantes às do ano anterior e diminuir os gastos. Regra geral, a tendência é para poupar.

 

Em média, no período da Black Friday, os portugueses planeiam gastar 180 euros. 53% dos inquiridos conta desembolsar até 100 euros, sendo que 29% pretende gastar mais de 200 euros. Já no Natal, a média do valor que os portugueses tencionam gastar é maior: 264 euros. 30% prevê gastar até 100 euros e 40% conta gastar mais de 200 euros. 

 

Questionados sobre até que ponto a crise da Covid-19 limita os hábitos de compra, três em cada cinco inquiridos sentem alguma ou mesmo uma grande limitação no orçamento disponível para fazer compras na Black Friday, bem como na quantidade de produtos a comprar. Mais de metade (53%) considera que a pandemia veio limitar muito a compra em lojas físicas.

 

Os hábitos de consumo de Natal, na óptica dos portugueses que participaram no inquérito, ficam ainda mais comprometidos devido à pandemia. Como tal, 65% considera que o orçamento disponível para fazer compras é mais limitado e, aproximadamente, a mesma percentagem prevê que a quantidade de produtos a comprar tenha limitações. Quanto à compra em lojas físicas, 84% considera que a pandemia veio limitar a visita a estes espaços.

A DECO Proteste verifica que os portugueses estão mais dispostos a abdicar de ir às lojas físicas na Black Friday do que no Natal. Só 9% prefere fazer as compras natalícias apenas a partir do sofá. Já 46% dos consumidores portugueses quer aderir ao formato online no fim-de-semana de compras mais aguardado do ano, muito por causa da pandemia que assolou o Mundo.

De forma a proteger-se e manter o distanciamento físico, a DECO Proteste recomenda que os consumidores optem, sempre que possível, pelas compras online. Nesta altura, é igualmente importante ter em atenção a garantia dos produtos, especialmente electrodomésticos e aparelhos tecnológicos.

Metodologia

O inquérito foi enviado entre 29 de Outubro e 3 de Novembro, via e-mail, a uma amostra da população portuguesa adulta entre os 25 e os 74 anos. No total, foram recebidas 954 respostas válidas, que foram ponderadas de acordo com o género, a idade, a região do País e as habilitações literárias dos inquiridos, por forma a reflectirem a realidade nacional.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...