Associação Salvador relembra que o confinamento não é igual para todos

A Associação Salvador lançou uma campanha que apela à consciencialização de entidades responsáveis e da população em geral para a necessidade de tornar os espaços acessíveis a todos.

Numa campanha assinada pela Carmen, a associação lança a mensagem “Confinados até quando?”, alertado para o facto de que as pessoas com deficiência motora continuarão a cingir-se às suas casas, uma vez que a maioria dos espaços têm barreiras de acessibilidade.

Através de uma carta fechada ao País e de uma presença nas redes sociais, a campanha, que será lançada no próximo dia 26, pretende que Portugal seja mais acessível, justo e inclusivo.

«Vivemos permanentemente confinados. Quem consegue identificar uma rua no nosso país onde não encontremos um obstáculo à mobilidade? Este é o panorama em pleno século XXI: degraus no acesso aos restaurantes, uma escadaria à porta de casa, calçada portuguesa sem manutenção, passadeiras não rebaixadas», explica Salvador Mendes de Almeida, presidente da Associação Salvador.

E acrescenta: «enquanto não existir uma revisão do Decreto-Lei 163/2006, enquanto a fiscalização não actuar, enquanto não existir sensibilidade por parte dos proprietários para tornar os seus espaços acessíveis, viveremos esta realidade. O Governo e as Câmaras são os principais responsáveis e, por isso, as principais entidades que poderão fazer a diferença.Queremos que comecem a existir mudanças efetivas significativas nesta área. Não podemos continuar permanentemente à espera.»

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...