Apple e Google compram patentes da Kodak

Um grupo que inclui empresas como a Apple, a Google e a Research in Motion (RIM) chegou a acordo para adquirir uma carteiras de patentes digitais da Eastman Kodak por 525 milhões de dólares (aproximadamente 396 milhões de euros). O negócio, que coloca em suspenso as guerras judiciais que estas empresas têm vindo a travar entre si em torno dos direitos de propriedade intelectual, pode ser a salvação que a Kodak há muito esperava para sair da situação de bancarrota.

A notícia já havia sido avançada pelo Wall Street Journal, mas não revelava ainda os nomes das empresas envolvidas no consórcio. De acordo, com a mesma publicação, para além da Apple, da Google e da fabricante do Blackberry, o consórcio inclui outras gigantes tecnológicas como Microsoft, Samsung, Facebook, Amazon, Huawei, Adobe, Fujifilm, HTC e Shutterfly. O negócio será conduzido pelas companhias especializadas na compra de patentes Ventures LLC e RPX, que depois irão distribuir as patentes pelas empresas envolvidas na aquisição.

O portefólio da Kodak inclui cerca de 1100 patentes relativas à captura, manipulação e partilha de imagens digitais, que no início do ano estavam avaliadas em 2,6 mil milhões de dólares (cerca de 1,96 mil milhões de euros, ao câmbio actual). Porém, com o passar do tempo foram desvalorizando, e, após um ano e meio à procura de compradores, a Kodak viu-se agora obrigada a vender a sua carteira de patentes por um preço bastante inferior.

Ainda assim, o negócio pode ser suficiente para ajudar a fabricante de máquinas e material fotográfico a sair da situação de bancarrota já na primeira metade de 2013, estima o Wall Street Journal. No início do ano, a Kodak apresentou um pedido de protecção contra os credores – previsto no capítulo 11 da Lei da Falência dos Estados Unidos -, e no mês passado chegou mesmo a acordo com os credores para o empréstimo de 830 milhões de dólares (625,7 milhões de euros). Porém, ficou definido que os empréstimos só iriam avançar caso a empresa conseguisse vender a sua carteira de patentes pelo montante mínimo de 500 milhões de dólares.

Para além disso, o negócio também resolve todos os processos judiciais sobre propriedade intelectual que a Kodak mantinha com as 12 empresas que integram o grupo de compradores.

A Eastman Kodak teve o seu pico nos anos 80 do século XX, altura em que empregava mais de 145 mil pessoas em todo o mundo. Porém, a empresa, fundada em 1880, sentiu dificuldades na transição da era analógica para a digital, e perdeu quota de mercado para concorrentes como a Canon ou a Hewlett-Packard (HP).

Após ter apresentado o processo de falência, o CEO da Kodak, Antonio M. Perez, traçou um plano para a reestruturação da empresa que passava pelo enfoque na venda de impressoras a consumidores. Porém, a empresa foi obrigada a encerrrar o seu negócio de impressoras, e agora a estratégia passará essencialmente pela venda de equipamentos de impressão, sob a marca Prosper Press, e serviços a empresas. A Kodak estima que as suas áreas de negócio que ainda restam acumulem receitas de 2,7 mil milhões de dólares (2 mil milhões de euros) em 2013.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...