Amnistia Internacional: «Há centenas de famílias com dificuldades em comprar máscaras»

A Amnistia Internacional lançou uma campanha de venda de máscaras comunitárias certificadas que poderá ajudar a proteger quem compra, mas também famílias mais vulneráveis. Por cada três máscaras compradas na loja online da organização, será doada uma a quem não tem possibilidade de adquirir este equipamento de protecção.

Quem comprar mais do que uma poderá beneficiar de um desconto e há ainda a possibilidade de fazer um donativo directo de uma ou mais máscaras.

Paulo Fontes, director de Comunicação e Campanhas da Amnistia Internacional Portugal, explica à Marketeer que a iniciativa arrancou, em pré-venda, no passado dia 15 e que em menos de uma semana já foi necessário fazer uma nova encomenda ao fornecedor. «Por isso, a aceitação tem sido bastante boa, considerando até que a campanha de comunicação pública ainda não tinha sequer iniciado,»

Esta segunda fase da iniciativa arranca agora com uma divulgação mais forte junto dos portugueses para que todos saibam que também a Amnistia Internacional tem máscaras disponíveis. Paulo Fontes acredita que a adesão verificada estará muito relacionada com a qualidade do produto: «São máscaras de nível 3 com dupla camada, filtro no interior, devidamente certificadas pelo CITEVE, com todas as garantias de qualidade ao serem um produto testado e validado por este centro.»

Junta-se ainda a dimensão solidária da campanha. Diz o responsável que, nas alturas de crise, sente-se muitas vezes uma maior solidariedade por parte das pessoas, «talvez porque melhor compreendemos que precisamos de nos unir e apostar na entreajuda para solucionar os desafios».

Quantas máscaras ambicionam conseguir doar?

O número de máscaras que iremos conseguir doar depende do sucesso da campanha, depende do número de máscaras que conseguirmos vender. Por cada três máscaras vendidas, vamos conseguir doar uma.

Infelizmente, em Portugal, existem centenas de famílias em situação de maior dificuldade para conseguirem comprar máscaras de protecção. Esta situação é ainda mais marcante nesta fase de crise económica e social, que se junta e foi criada pela crise sanitária, deixando ainda mais expostas e em risco as pessoas em circunstância de maior vulnerabilidade, todas com um denominador comum: a pobreza.

Além disso, lembremo-nos que, para a vida quotidiana de cada pessoa durante um mês, são precisas várias máscaras. Todas as máscaras certificadas reutilizáveis têm, mesmo assim, um número finito de utilizações e lavagens de forma a manter as suas óptimas condições e funções de filtração e respirabilidade. Para pessoas que têm que sair diariamente e utilizar transportes públicos para ir trabalhar, não sendo teletrabalho uma opção, são necessárias várias máscaras por semana, principalmente se considerarmos que podemos estar a falar de famílias de duas, três ou mesmo mais pessoas.

Por isso, esperamos vender o máximo de máscaras possível. E se nos víssemos obrigados a fazer uma reposição de stock várias vezes seria um bom sinal: de que o sucesso da campanha nos permitiria ter um impacto positivo na vida de mais pessoas.

Quando serão entregues as máscaras às famílias apoiadas?

As máscaras serão entregues o mais depressa possível. Ou seja, não vamos esperar até haver um momento que marque o final da campanha para entregar todas as máscaras. Agora e o quanto antes é o momento em que são mais necessárias. Estas pessoas precisam de retomar as suas vidas, os seus trabalhos, os seus quotidianos. Precisam das máscaras agora.

Por isso à medida que formos tendo disponibilidade, vamos distribuindo. Do mesmo modo, à medida que nos forem pedidas directamente através do nosso email criado para o efeito, vamos contactando e enviando às pessoas que nos pedirem.

De que forma está a ser comunicada a iniciativa?

A iniciativa está a ser comunicada em vários canais e de várias formas. Queremos chegar ao maior número de pessoas possível, pois do sucesso da campanha de comunicação e do número de vendas depende a nossa capacidade de apoiar com a doação de mais máscaras. É uma campanha circular que funciona com os mesmos princípios da Amnistia Internacional enquanto movimento: quantas mais pessoas agirem, mais conseguimos mudar o Mundo. Por isso, não está em jogo apenas o sucesso de uma iniciativa, mas a possibilidade de apoiar mais pessoas e ter um impacto positivo nas suas vidas. É isso o mais importante.

Nesta campanha, contamos já com caras bem conhecidas dos portugueses. A apresentadora Ana Rita Clara, o actor Ivo Canelas, a actriz Susana Arrais e o músico Dino D’Santiago são alguns dos nomes de personalidades que já se juntaram a esta iniciativa, divulgando a campanha e propondo aos portugueses que optem pelas máscaras da Amnistia Internacional, protegendo-se a si e contribuindo para a protecção de outros.

Texto de Filipa Almeida

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...