«A legislação é intransponível. A auto-regulação é a fronteira da ética»

A APAN centra o seu propósito em dois grandes eixos: criar um ambiente de transparência, responsabilidade e accountability em
relação ao marketing e à publicidade; e, por outro lado, pugnar por uma publicidade que seja confiável para o público em geral,
para os anunciantes e para os reguladores.

Texto de Maria João Lima

Foto de Paulo Alexandrino

Chama-se Associação Portuguesa de Anunciantes (APAN), mas, hoje, os seus associados vão muito além daqueles que anunciam na media tradicional. Ou como diz Manuela Botelho, a sua secretária–geral, «se tem marketing organizado, a APAN é o sítio onde é importante estar, porque tudo o que tem a ver com a marca passa em torno da comunicação». Os associados da APAN representam, no seu conjunto, um volume de vendas superior a 46 mil milhões de euros, mais de 75 mil postos de trabalho directos e cerca de 75% do investimento publicitário no País.

Para ler o artigo na íntegra consulte a edição de Maio de 2022 da revista Marketeer.



Artigos relacionados
Comentários
A carregar...