8 empresas portuguesas desafiam a pandemia e participam em feira chinesa

«É a nossa primeira abordagem ao mercado chinês.» As palavras são de Fátima Oliveira, directora executiva da All Around Shoes – empresa que adquiriu a Mariano Shoes em Maio de 2019. A marca encontra no reforço da internacionalização o seu foco (já vende para França, Inglaterra e EUA, por exemplo) e a China é uma das primeiras apostas deste novo capítulo.

A Mariano Shoes, de São João da Madeira, prepara-se para participar na China International Import Expo 2020 (CIIE), considerada a mais importante feira internacional chinesa e que este ano se realiza digitalmente. Marcada para o início do próximo mês, irá contar com a participação de oito empresas portuguesas, de sectores tão diferentes como têxtil, vinhos ou viagens, entre outros.

Há ainda espaço para o calçado através da Mariano Shoes. A marca de luxo criada pela Manuel de Almeida Jorge & Filho ganhou novo fôlego pelas mãos de Fernando Neves de Almeida (que exerce actividade na área dos serviços e dos recursos humanos), a que se somou mais recentemente a All Around Shoes. Revitalizar a marca é a grande missão, sendo que isso envolve, por exemplo, o lançamento de uma colecção de senhora mas também a apresentação dos seus produtos além-fronteiras.

«Devido à situação pandémica, tínhamos decidido que até ao final de 2020 não iriamos estar presentes em feiras internacionais. No entanto, tomámos conhecimento, através de um amigo, da realização da CIIE também digitalmente. Por isso, achámos a oportunidade bastante interessante e fizemos a nossa inscrição», conta Fátima Oliveira à Marketeer.

Segundo a directora executiva, a estratégia traçada para a marca Mariano Shoes assenta em duas áreas fundamentais: o reforço da presença digital e o aumento da presença nos mercados internacionais. «Sendo que a internacionalização será faseada por mercados», explica Fátima Oliveira, sublinhando que a China não fazia parte dos planos devido a vários constrangimentos, nomeadamente a língua. Contudo, perante a oportunidade, decidiram avançar. Além disso, esta parece ser uma geografia menos afectada actualmente pela pandemia de COVId-19 e, por isso, apelativa.

A Mariano Shoes tem uma oferta muito vasta em termos de produto e não sente, para já, necessidade de adaptar o portefólio. Segundo a responsável, o gosto dos consumidores chineses não será muito diferente. «Estes são consumidores ávidos por produtos europeus», refere ainda.

A marca apresenta como diferenciador a sua história antiga, o modo de produção artesanal e o acabamento quase único para cada cliente. Não há dois pares iguais. Posiciona-se, por isso, no mercado de luxo e em que a exclusividade é palavra de honra, atributos que também agradam aos consumidores chineses.

«A estratégia que temos desenhada é muito ligada à essência do que é a marca Mariano. Oferecemos produtos de luxo feitos de forma artesanal e sustentável e produzidos exclusivamente em Portugal. Aliado a isso, somos uma marca com 75 anos de história», explica Fátima Oliveira.

Sobre a CIEE, a directora executiva refere que as marcas portuguesas irão participar exclusivamente através do marketplace online do evento. No caso da Mariano Shoes, vai estar disponível a apresentação da marca e o catálogo digital. «Para além disso, temos o apoio do ICBC e de uma série de serviços oferecidos por eles que nos irão ajudar na visibilidade da marca.»

O banco chinês ICBC está por detrás deste marketplace, denominado BMM – Business Matchmaking. Será a primeira vez que a plataforma operará nestes moldes e magnitude, permitindo que 8,1 milhões de clientes corporativos da instituição bancária tenham acesso aos participantes da feira.

A plataforma assegura a exposição de produto, mas também as negociações por videochamada e, ainda, a celebração de acordos ou contratos. Desta forma, as barreiras impostas pela pandemia poderão ser atenuadas.

«Estamos muito expectantes com as possibilidades que esta participação nos possa trazer já que a China é um mercado muito grande. Gostaríamos de encontrar parceiros que possam querer ser distribuidores e/ou compradores e estamos confiantes de que esta participação nos vai abrir essa oportunidade», afirma ainda Fátima Oliveira.

O Grupo Internacional Prosperus Alliance, presente na China desde 2006, foi designado pelo ICBC para coordenar a selecção das empresas portuguesas participantes da feira, dando prioridade a sectores de exportação tradicionais. Além da Mariano Shoes, também fazem parte deste leque a Somelos, Lameirinho, Grupo AGPMeat, Maporal, João Portugal Ramos, Cordex e Viagens Abreu. Duas empresas espanholas do sector alimentar, Bodegas Baron e Alexevia, também vão participar a partir de Lisboa.

Texto de Filipa Almeida

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...