Vogue Portugal cede às críticas e retira capa

De quatro capas para apenas três. A edição de Julho/Agosto da Vogue Portugal foi reduzida a três capas possíveis depois de uma das imagens ter sido amplamente criticada aquém e além-fronteiras. Integrada num número dedicado à saúde mental, sob o mote “The Madness Issue”, a capa levou a publicação a ser acusada de tentar tornar o assunto glamoroso.

“Num assunto tão importante como a saúde mental, não podemos estar divididos”, afirma a Vogue Portugal na sua página de Instagram, adiantando que tomou a decisão de “retirar da próxima edição uma das quatro capas”. Segundo a revista, trata-se de uma foto que “retrata uma cena num hospital psiquiátrico” e também o restante editorial que estaria no interior sobre o tópico saúde mental será eliminado.

“A Vogue Portugal lamenta profundamente qualquer ofensa ou incómodo que este editorial possa ter causado. Após reflexão, compreendemos que o assunto da saúde mental requer uma abordagem mais ponderada. As nossas sinceras desculpas pelo sucedido”, indica ainda a publicação.

 

Ver essa foto no Instagram

 

On such an important issue such as mental health we cannot be divided. Vogue Portugal has taken the decision to pull one of the four covers of our July/August issue, which depicts a scene of a psychiatric hospital as well as the inside cover story based around the topic of mental health. Vogue Portugal deeply apologises for any offence or upset caused by this photo shoot. On reflection, we realise that the subject of mental health needs a more thoughtful approach. We sincerely apologise for this. Num assunto tão importante como a saúde mental, não podemos estar divididos. A Vogue Portugal tomou a decisão de retirar da próxima edição uma das quatro capas do número de julho/agosto, cuja imagem retrata uma cena num hospital psiquiátrico, bem como o restante editorial que estaria dentro da revista sobre o tópico da saúde mental. A Vogue Portugal lamenta profundamente qualquer ofensa ou incómodo que este editorial possa ter causado. Após reflexão, compreendemos que o assunto da saúde mental requer uma abordagem mais ponderada. As nossas sinceras desculpas pelo sucedido. . #vogueportugal @lighthouse.publishing #editorinchief @sofia.slucas

Uma publicação compartilhada por Vogue Portugal (@vogueportugal) em

No dia em que as capas foram divulgadas, os comentários negativos não tardaram. “Esta capa não foi pensada da melhor forma. A saúde mental não é uma trend, não é um moodboard, não pode ser uma capa estilizada”, escreve uma seguidora da Vogue Portugal no Instagram, depois de afirmar que o tema é importante e que é de louvar a disponibilidade da publicação para falar sobre o assunto. “Este tipo de fotos não deveria estar a representar a conversa sobre saúde mental! Acho de muito mau gosto!”, comentou também a modelo internacional Sara Sampaio.

A Vogue Portugal tentou explicar a escolha da capa, que mostra um cenário de hospital onde a modelo está a ser cuidada pela sua mãe e avó, na vida real, fotografadas por Branislav Simoncik. “A nossa intenção é abrir o tópico da saúde mental e trazer para a mesa de discussão as instituições, a ciência e as pessoas que estão envolvidas com a saúde mental nos tempos que correm. O editorial que faz esta capa explora o contexto histórico da saúde mental e foi imaginado para reflextir histórias autênticas e da vida real, inspirado por uma pesquisa profunda de centenas de imagens de reportagem retiradas dos mais relevantes e famosos documentários que captaram este género de instituições”, justifica a publicação. No entanto, as explicações não terão sido suficientes. .

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...