Viúva Lamego e Padaria de São Roque entre as novas 14 Lojas com História de Lisboa

Há novidades no programa municipal Lojas com História de Lisboa. A partir de agora, mais 14 estabelecimentos integram esta iniciativa que visa promover o comércio tradicional através de apoio financeiro à preservação, mas também modernização, destes lugares.

O objectivo é posicionar o comércio como marca diferenciadora da capital portuguesa, sendo que para isso é necessário articular diferentes medidas. No centro está uma estratégia que liga as três áreas de actividade municipal: planeamento urbano e elementos arquitectónicos, património cultural e, ainda, actividades económicas.

As Lojas com História estão, por exemplo, isentas de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e as despesas de conservação e manutenção são consideradas a 110% no apuramento do lucro tributável. Além disso, passam a contar com o Regime de Reconhecimento e Protecção de Estabelecimentos e Entidades de Interesse Histórico, aprovado em 2017, que incide sobre a liberalização das rendas. Este regime estabelece que os contratos têm protecção legal por cinco ou 10 anos, dependendo do regime de arrendamento em que se encontram.

“No novo lote de Lojas com História, uma distinção instituída pela Câmara Municipal de Lisboa, o grupo mais representado é o dos restaurantes e das lojas de porcelanas”, adianta a autarquia em comunicado.

Ao todo são mais de 100 as lojas que fazem parte deste programa municipal. As novas integrantes são: J. Garraio (Equipamentos Náuticos), Cafélia Ribeiro (Chás e Cafés), Vista Alegre (Porcelanas), Tapetes de Arraiolos Trevo (Tapetes), Procópio Bar (Bar), Viúva Lamego (Porcelanas) , Drogaria Oriental (Drogaria) , Restaurante Sancho (Restaurante), Restaurante Clara Jardim (Restaurante), Solar dos Nunes (Restaurante), A Paródia (Bar), Livraria Ler (Livraria), Padaria de São Roque (Padaria) e Artemoldura (Molduras).

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...