Vendas do Grupo Jerónimo Martins crescem 10,5% em 2012

O Grupo Jerónimo Martins obteve vendas líquidas consolidadas de 10,9 mil milhões de euros em 2012, o que representa um acréscimo de 10,5% em relação aos 9,8 mil milhões de euros arrecadados no ano anterior. Os resultados foram sobretudo impulsionados pela retalhista Biedronka, que já representa 62% da facturação global do grupo.

Apesar do “abrandamento do crescimento da economia polaca”, a cadeia de hipermercados Biedronka encerrou 2012 com um volume de vendas de 6,7 mil milhões de euros, o que significa um aumento de 16,3% em relação ao ano anterior, de acordo com os dados sobre vendas preliminares divulgados pelo Grupo Jernónimo Martins. O grupo atribui a performance da insígnia ao “ambicioso plano de expansão, que se traduziu na abertura de 263 novas lojas e num aumento de 16,3% da área de venda”.

No mercado português, as receitas do Pingo Doce cresceram 3,1% para 3,3 mil milhões de euros. No entanto, as vendas “like for like” (LfL) – a comparação homóloga das vendas com base no mesmo número de lojas – revelam uma quebra de 0,6% em 2012, depois de um decréscimo de 2,6% no quarto trimestre. “Em Portugal, o ambiente deteriorou-se mais rapidamente do que inicialmente esperado e foi-se agravando ao longo do ano. A par de uma clara tendência de transferência do consumo para produtos mais baratos dentro das várias categorias, a sensibilidade dos consumidores ao preço reforçou-se”, refere a Jerónimo Martins.

No segmento grossista, as vendas LfL do Recheio revelam uma quebra de 2,9%, “reflectindo um efeito negativo de calendário e a deterioração do mercado, particularmente no canal Horeca”.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...