Universidade do Minho tem solução para manter frescura dos alimentos

Melhorar a qualidade dos produtos frescos embalados e aumentar o seu tempo de prateleira são os objectivos do Saferfood, projecto desenvolvido pela Plataforma Internacional da Universidade do Minho (Fibrenamics). Com base em materiais naturais e nanomateriais, esta solução promete estender os prazos de validade e de preservação de determinados produtos perecíveis – nomeadamente carne disponibilizada em cuvetes nos supermercados.

Segundo a Fibrenamics, funciona como uma almofada absorvente para o interior das embalagens (semelhante a uma palmilha para sapatos). Tem propriedades antibacterianas e antifúngicas que deverão ajudar no processo.

A Fibrenamics garante que se trata de uma película totalmente segura para uso alimentar, que recorre a materiais biodegradáveis. É também uma solução que permite evitar o consumo excessivo de plásticos não recicláveis.

«O Saferfood é mais um exemplo de um produto que estamos certos que fará a diferença. Estas embalagens trazem benefícios não só para a indústria agro-alimentar, com a diminuição do desperdício alimentar, como para o consumidor final que poderá comprar, por exemplo, carne fresca com prazo de validade mais alargado, e tudo isto, com uma embalagem mais segura e sustentável», adianta Diana Ferreira, investigadora da Universidade do Minho e Coordenadora Científica da Fibrenamics.

A mesma responsável adianta que a solução está em fase de validação final e que os próximos passos poderão passar pela angariação de financiamento. Também poderão vender a inovação a empresas em embalamento ou integrar no capital social do Saferfood companhias interessadas em ter um papel mais próximo.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...