Destino de qualidade

Actualmente, a eficácia com que se reage à variabilidade do mercado turístico permite competir com destinos com nichos de mercado idênticos e com capacidades de resposta paralelas, tendo em conta as tendências da procura. Esta está sempre a mudar e o que hoje é certo, amanhã não o é. Encontrar o equilíbrio entre esses extremos permite alcançar retorno e mediatismo no momento actual, mas sobretudo estabelecer metas para o futuro, percorrendo um caminho em crescendo e sustentado. Para os Açores, o turismo é analisado e pensado com esse prisma, não só por ser uma das forças indutoras da economia da região, mas, também, porque há o intuito de conjugar a sustentabilidade com o acompanhar das tendências, modernas, de divulgação e captação de turistas, que, no fundo, são o garantir de rendimento e retorno. Deste modo, com o objectivo de cumprir com as premissas actuais e globais, o Turismo dos Açores tem desenvolvido um conjunto de competências de divulgação e promoção externa, que potenciam o crescimento de todas as nove ilhas do arquipélago. Este é um trabalho rigoroso e competente, com um foco muito bem definido e com uma estratégia a médio prazo que permitirá alcançar elevados níveis de notoriedade.

Para além disso, tem desenvolvido um conjunto de ferramentas eficazes que permitem dar resposta à grande maioria das questões de todos os turistas que visitam o arquipélago dos Açores.

Nova campanha

Com um objectivo mais palpável e estritamente específico, a Turismo dos Açores/ATA lançou, em parceria com a companhia aérea portuguesa TAP, uma campanha de marketing. Esta campanha destina-se, de uma maneira simples e clara, a aumentar as vendas do destino Açores na Alemanha, Espanha, França e Reino Unido. Estes são mercados estratégicos para os Açores, potenciando-se, assim, rotas a partir destes mercados, com segmentação geográfica para as regiões de cada país para onde a TAP voa, sendo que há o objectivo de impactar utilizadores com uma extensão de idades escolhida, conforme os indicadores da procura de mercado, mas também através dos dados de campanhas realizadas anteriormente.

Esta é uma campanha nas plataformas online e offline, usando os mais diversos meios actuais para chegar aos consumidores identificados. Distinguidos como um destino sustentável, os Açores ficam, assim, mais perto dos turistas europeus. Nos últimos anos, e novamente numa política de acompanhamento, projecção e preparação futura, a Turismo dos Açores/ATA tem desenvolvido diversas campanhas de marketing digital, para a promoção turística digital dos Açores com o objectivo claro de potenciar a marca Visit Azores. Entre 2017 e 2019 foram desenvolvidas campanhas digitais em plataformas internacionais, com o objectivo de potenciar e posicionar o destino Açores nos mercados estratégicos. As campanhas foram sempre direccionadas para mercados como a Alemanha, Portugal, Estados Unidos da América, Reino Unido e Canadá, por serem mercados com ligações aéreas directas com a Região, e consequentemente terem um elevado peso no número de hóspedes e dormidas nos Açores. Para além disso, foram campanhas desenvolvidas para reduzir a sazonalidade.

Estas campanhas tiveram foco no display e no vídeo, com o conceito de apresentar os Açores através de várias experiências adaptadas a cada mercado, que o visitante pode usufruir ao visitar o destino. São apresentadas várias experiências conforme o perfil do visitante do respectivo mercado, complementando com a divulgação de vídeos generalistas e temáticos do destino Açores.

De acordo com a segmentação de mercado, o período em que as campanhas estão a decorrer e o respectivo investimento, quer o número de cliques, quer o de interacções, tem superado as melhores expectativas. O objectivo, no curto prazo, é optimizar os métodos para conseguir mesurar especificamente o retorno destas plataformas, mas, e numa preceptiva simples e concreta, o balanço destas campanhas é extremamente positivo. Tem sido possível, não só potenciar os nichos de mercado, como posicionar a marcar Açores, também na era digital.

Mergulho nos Açores

Esta é mais uma distinção que muito honra os Açores e coloca o arquipélago também na rota internacional deste nicho de mercado. Efectivamente, os Açores são ricos em fauna e flora submarina, mas também em património histórico, encantador e deslumbrante. Os Açores, nove ilhas e um mar de mil emoções, no centro do Oceano Atlântico, oferecem uma enorme variedade de lugares de mergulho e uma vida marinha rica e abundante. Desde mergulhar com o maior peixe do mundo (tubarão baleia) nas suas águas cristalinas, a encontrar-se rodeado de dezenas de graciosas jamantas ou ágeis tubarões azuis, tudo é possível. A área geográfica dos Açores, numa zona de transição entre as correntes ricas em nutrientes vindas do norte e as águas quentes da corrente do golfo, torna este grupo de ilhas num paraíso para uma grande e variada quantidade de espécies marinhas. É possível encontrar cinco espécies de tartarugas marinhas, mais de 25 espécies de cetáceos, e cerca de 600 espécies de peixes pelágicos, várias espécies de tubarões, jamantas e meros.

Os Açores são considerados um dos melhores lugares do mundo para a observação de cetáceos. Os mergulhadores, que aqui se aventuram, descobrem que, nestas ilhas de águas tranquilas e limpas, escondem-se algumas das melhores experiências subaquáticas a nível mundial. É possível mergulhar em todas as ilhas, que oferecem experiências tão diversificadas como mergulhos costeiros, em naufrágio, em grutas, com tubarões e em montes submarinos remotos, onde se encontram com dezenas de jamantas.

Debaixo de água estas ilhas são tão diferentes como à superfície, com tubarões baleia numa ilha e tubarão azuis noutra, ou um naufrágio da II Guerra Mundial num ilha e vestígios de naufrágios dos sécs. XV e XVI noutra. Os Açores apresentam uma costa com um relevo de fundo muito variado, dando aos locais de mergulho um interesse geológico extra, com impressionantes arcos formados por fluxos de lava milenares e grutas profundas, muitas vezes formadas por várias câmaras interligadas entre si.

Junto à costa encontram-se meros, cardumes de peixe-porco, bem como polvos e moreias, que se escondem por entre rochas. Pequenos peixes dão cor ao fundo, como os peixes rei, peixes rainhas, castanhetas amarelas, vejas e muitos outros. A maior profundidade, os rocazes, peixe-cão e anthias marcam presença. Para além destes, a água é muitas vezes preenchida por cardumes de bicudas, lírios, enxaréus e, também, jamantas, tartarugas ou peixe-lua. Contudo, os montes submarinos distantes da costa são, sem dúvida, o melhor local para avistar grandes peixes pelágicos, contando com cardumes de por vezes milhares de bonitos, grandes lírios e centenas de grandes bicudas estáticas, na coluna de água a observar os mergulhadores. É neste ex-líbris que os Açores ganham relevo e se afirmam como um destino único para o turismo de mergulho.

Graças à sua origem vulcânica existem nos mares dos Açores elevações de terra que emergem de grandes profundidades do fundo oceânico, por vezes superiores aos mil metros até perto da superfície – os montes submarinos. Existem alguns acessíveis para a prática do mergulho, como é o caso do Banco Princesa Alice, Banco D. João de Castro, Ilhéus das Formigas e Banco Dollabarat, que apresentam uma variedade única de fauna e flora marinha, tornando estes mergulhos marcantes, enriquecedores, provocando a vontade de estar debaixo de água muito tempo, pois a biodiversidade marinha é envolvente.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Burnout: seis sinais de alerta a que deve estar atento
Automonitor
Nissan LEAF em modo drift