Tommy Hilfiger: «Se uma marca não for sustentável, não sobreviverá»

Tommy Hilfiger acredita que defender o planeta e investir em práticas mais amigas do ambiente é um dever das marcas. «Dentro de dois ou três anos, se uma marca não for sustentável, não sobreviverá», afirmou o designer de moda em entrevista ao The Independent.

Tommy Hilfiger aponta o dedo especialmente às peças de ganga: são gastos milhares de litros de água na produção de um só par de calças. Além disso, o processo que confere diferentes cores a este tecido resulta na libertação de químicos tóxicos nos oceanos. Para resolver o problema, a marca a que o designer dá nome está a apostar numa tecnologia a laser para assegurar as lavagens das peças de ganga.

Mas esta não é o único aspecto ecológico em que a Tommy Hilfiger se está a apoiar. A nova colecção cápsula TommyXLewisXH.E.R. promete elementos sustentáveis em 75% de todas as peças. E o que é que isto quer dizer ao certo? «Toda a ganga é sustentável, reciclada, upcycled, estamos a ‘lavar’ com laser em vez de água», explica Tommy Hilfiger, garantindo que esta já é uma prática comum há cinco anos.

O responsável adianta ainda que estão à procura de novas formas de packaging, que podem passar por fios reciclados ou transformação de materiais que acabam habitualmente em aterros. «É um grande projecto, mas gostaríamos de ser líderes e estamos a levá-lo muito a sério», conta.

À mesma publicação, Tommy Hilfiger sublinha que a moda tem a responsabilidade, enquanto indústria, de fazer o que está certo para a sociedade: «E eu realmente acredito que upcycling e reciclagem, fazer tecidos a partir de plástico e limpar os oceanos é o nosso dever para com o mundo e para connosco. A sustentabilidade é algo que todas as marcas têm de abraçar.»

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...