Tinder testa conversas em vídeo para amor em tempo de isolamento

Face to Face é o nome da ferramenta de vídeo que o Tinder está a testar. Prometida já no início da pandemia, quando muitos países estavam em quarentena, começa agora a dar os primeiros passos no sentido de facillitar o chamado “video dating”. O objectivo será conhecer melhor outra pessoa sem que para isso seja necessário partilhar informações pessoais como número de telefone ou endereço de email – e sem que seja preciso estar fisicamente no mesmo sítio, claro.

Para já, apenas alguns estados norte-americanos e uma mão cheia de países, como França, Austrália e Chile, têm acesso à novidade. Os utilizadores que tiverem a opção Face to Face disponível precisam apenas de indicar que estão interessados em avançar com conversas em vídeo. Se, numa situação de “match”, ambas as partes tiverem mostrado estar interessadas em utilizar a funcionalidade, o vídeo passará a estar disponível no chat.

Segundo o Tinder, esta não será, porém, uma conversa tradicional de vídeo. Em vez de a outra pessoa ocupar a maioria do ecrã, ambos os participantes dividem o espaço: “Ninguém deve ser posto num canto quando se tenta conhecer alguém”, explica a aplicação de encontros.

O Tinder estabeleceu também algumas regras, que pede aos seus utilizadores para que cumpram: não deve haver nudez ou conteúdos sexuais durante a chamada de vídeo; não deve haver assédio, discurso de ódio, violência ou qualquer tipo de actividade ilegal; e não devem ser envolvidos menores.

Comportamentos que não cumpram estas regras devem ser denunciados pelos próprios utilizadores. Pelo menos durante a fase de teste, o Tinder não irá gravar as conversas, pelo que cabe aos participantes assumir também o papel de vigilantes.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...