Tecnologia tornou-se um «bem de primeira necessidade», diz a directora de Marca da Vodafone

O potencial de uma relação mais próxima entre tecnologia e humanidade está na base da nova assinatura e do novo posicionamento da Vodafone a nível global. Por cá, a mudança também já se faz sentir com o lançamento de uma campanha que retrata este mundo de possibilidades que se abre.

«A pandemia aconteceu e nós quisemos actualizar o posicionamento. Pensámos que era mesmo o momento certo», conta Leonor Dias, directora de Marca da Vodafone Portugal. Na mais recente Marketeer Talks, a responsável lembra que a ligação da empresa de telecomunicações à tecnologia já vem desde 2017, quando perceberam que era uma forte tendência junto do consumidor, e que estava na altura de reforçar essa ideia.

Segundo Leonor Dias, a Vodafone está agora «menos apaixonada pela tecnologia e mais apaixonada por aquilo que podemos fazer com ela», já que a tecnologia por si só não é nada. Em tempo de pandemia, com o teletrabalho e a telescola, a importância de saber aproveitar da melhor forma a inovação tornou-se ainda mais evidente: «Foi quase como um chamamento. A Vodafone Portugal vai pôr o País em primeiro lugar porque precisa de nós. É um compromisso muito grande que a empresa assume e é uma união que procura o bem maior.»

A directora de Marca sublinha ainda que a tecnologia se tornou um «bem de primeira necessidade» e, como tal, os clientes ficaram também mais exigentes e impacientes. Downloads mais rápidos ou videochamadas sem falhas fazem parte das expectativas.

Acompanhe a conversa completa em baixo:

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...