Riberalves investe na produção vitivinícola com Adega Mãe

maeA produção vitivinícola e o enoturismo são as novas apostas da empresa da família Alves num investimento de cinco milhões de euros. “Queremos fazer o melhor vinho da região de Lisboa”, afirma João Alves, presidente do grupo Riberalves, na apresentação da nova área de negócio do grupo: a Adega Mãe, em Torres Vedras.

“Criar a Adega Mãe foi uma decisão 60% emocional e 40% de negócio”, explica Bernardo Alves, administrador do grupo e responsável pela nova área de negócio. Prova disso mesmo é o nome escolhido para a marca – uma homenagem à mãe, «o pilar da família», partilha Bernardo Alves.

Com 4.500 metros quadrados, entre 40 hectares de vinha da Quinta da Archeira, a Adega Mãe tem a capacidade de produção de 1,2 milhões de litros por ano. Na vindima de 2011 foram produzidos 400 mil litros de vinho que se encontram em estágio. No entanto, o primeiro vinho da marca, Dory, já está disponível no canal Horeca (Hotéis, Restaurantes e Cafés) e tem lançamento no mercado previsto para início de 2012. A escolha do nome Dory – a marca umbrella dos vinhos da Adega Mãe – tem origem na antiga pesca do bacalhau feita em embarcações com o mesmo nome.

No espaço da Adega Mãe, com assinatura do arquitecto Pedro Mateus, decorrerão ainda actividades de enoturismo como visitas, provas de vinho e actividades agrícolas.

Assunção Cristas, ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, presente na inauguração da Adega Mãe, sublinha a importância da aposta no sector vitivinícola que representa uma receita de mil milhões de euros por ano no País. «Este é um vinho muito diferenciado, original e catalogado como o vinho da nova Europa, pela sua frescura, variedade e que se impõe pela qualidade», explica a ministra.

O desenho da marca esteve a cargo da ZDA, equipa liderada por João Pedro Dias que sublinha a importância da uva e da figura da mãe para a criação do logótipo final.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...