Quanto tenciona gastar nas férias? Média entre os portugueses é de 912 euros

912 euros é o valor médio que os portugueses esperam gastar durante as férias de Verão. Um inquérito elaborado pelo Observador Cetelem mostra que quem ficar a descansar na residência principal deverá gastar apenas 320 euros, ao passo que quem optar por uma residência secundária ou casa alugada poderá ver o orçamento subir para 987 euros.

Os portugueses que tencionam passar férias fora de casa, por seu turno, esperam gastar uma média de 1.530 euros. Por idades, são os cidadãos entre os 65 e os 74 anos aqueles que pretendem ser mais poupados: a estimativa é de 250 a 499 euros. Verifica-se ainda uma fatia mais pequena (6% do total de inquiridos) que planeia gastar de 2 mil euros – os portugueses entre os 55 e os 64 anos são os mais dispostos a gastar mais.

Dentro ou fora de portas?

Alguns aviões já cruzam de novos os céus e as fronteiras de alguns países estão abertas para Portugal, mas, mesmo assim, entre os portugueses que vão estar de férias até Agosto, 97% pensa aproveitar os dias de descanso dentro das próprias fronteiras. Apenas 1% dos portugueses mostra interesse em fazer férias em Portugal e no estrangeiro.

O centro de estudos de mercado justifica esta tendência com a incerteza que se vive no Mundo e no País. Quanto ao destino preferiro, 60% aponta para a praia, 34% para a cidade, 27% para o campo e 2% para a montanha. Sobre o campo, o Observatório Celetem sublinha que é o destino eleito maioritariamente pelos cidadãos entre os 65 e os 74 anos. Destaque ainda para os portugueses do Norte e do Sul, que são os que mais querem passar férias na praia este Verão.

Reservas: sim ou não?

A maioria dos inquiridos (70%) não faz reservas para as férias de Verão. Entre aqueles que fazem, 16% recorre a plataformas online como Momondo, Booking, Airbnb ou HomeAway, 8% prefere agências de arrendamento de casas e 2% opta por agências de viagens online ou similares. Há também quem reserve directamente no hotel/local de estadia (2%) e quem solicite os serviços de agências de viagem físicas (1%).

Residência secundária (31%) e casa de familiares/amigos (23%) são os tipos de alojamentos mais indicados pelos portugueses de férias entre Junho e Agosto. Deverá ser esta a justificação para a percentagem tão elevada de pessoas que não fazem reservas.

Seguem-se casa alugada (20%), residência principal (15%), turismo rural (7%) e só depois os hotéis (5%). O Observatório Cetelem mostra que também há adeptos de parques de campismo (2%)e de hostels (1%).

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...