Portugueses querem dinheiro para este Natal

Dinheiro. Este é o presente mais desejado pelos portugueses para a quadra festiva que se aproxima, segundo o Estudo de Natal 2014 da Deloitte. Seguem-se na lista livros, em 2.º lugar, e roupa/calçado na 3.ª posição. Um “top 3” que se mantém inalterado desde 2012.

Na lista dos presentes desejados, aparecem em último lugar estão os cosméticos/perfumes, a joalharia/relógios e os tratamentos de beleza.

Já no que os portugueses pensam oferecer, a ordem é diferente: 51% pensa oferecer livros, ao passo que 42% pondera oferecer roupa e/ou calçado. Já 31% pondera oferecer chocolates e 29% cosméticos e/ou perfumes. O dinheiro só aparece no 9.º lugar, subindo uma posição no ranking face a 2013. No resto da Europa, há uma maior sintonia entre o que se deseja e o que se pensa oferecer: os livros estão no topo de ambas as listas.

Entre géneros, os homens elegem o dinheiro, ao passo que as mulheres escolhem a roupa/calçado. Já no que toca a grupos etários, a faixa dos 18 aos 24 anos e dos 25 aos 34 anos preferem dinheiro é o presente mais desejado, seguindo-se a roupa/calçado, os computadores portáteis/de mesa e as viagens. Entre os adultos – faixa que abrange idades dos 35 aos 44 e dos 45 aos 54 anos, e seniores, dos 55 aos 64 anos – os livros estão à cabeça nos desejos para o sapatinho. Já as crianças preferem livros, seguidos de brinquedos de construção, roupa/calçado e jogos.

Orçamento de Natal cai, mas optimismo aumenta para 2015

O estudo mostra ainda que os portugueses estimam gastar um total de 270 euros por lar em 2014. O orçamento é distribuido por presentes (126 euros), alimentação e bebidas (99 euros) e socialização (45 euros).

“A diminuição do rendimento líquido de impostos é o primeiro motivo apontado” para a queda no orçamento de Natal, sublinha a Deloitte. “Contudo, o motivo que mais aumenta para justificar esta diminuição é o actual nível de endividamento, que evolui de 13% de respostas, em 2013, para 24%, em 2014”, constata o documento.

Contudo, há mais optimismo entre os consumidores portugueses relativamente ao poder de compra para 2015. A diferença entre respostas positivas e negativas é de -3% em 2014, uma melhoria face aos -14% de 2013, e aos -44% de 2012.

O Estudo de Natal da Deloitte foi realizado entre Outubro e Novembro de 2014 e reflecte a opinião de uma amostra representativa de consumidores europeus, num total de 17 326 inquiridos em 17 países, dos quais 760 portugueses.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...