Portugueses preferem passar férias dentro do País

A pandemia (e a incerteza em relação às fronteiras) está a levar muitos portugueses a repensarem o seu planeamento de férias para este Verão, pelo menos no que diz respeito ao destino. De acordo com um estudo do Observador Cetelem, a quase totalidade (97%) dos inquiridos admitiu ficar em território nacional nos meses mais quentes.

Segundo o estudo, 26% dos inquiridos planeia ir de férias até Agosto (uma opção sobretudo dos mais jovens, entre os 25 e 34 anos), mas 37% ainda não sabe se aproveitará estes primeiros meses pós-desconfinamento para descansar, preferindo aguardar pelo desenrolar da situação. Dos que tencionam aproveitar já o período de descanso, 64% vai fazê-lo fora da sua residência principal, sobretudo em casas alugadas, secundárias ou de familiares (74%). Apenas 5% admite reservar um quarto de hotel e 7% pondera optar pelo turismo rural.

Assim, e de acordo com o Observador Cetelem, a maioria dos portugueses não pretende, pelo menos nesta fase, fazer reservas (70%), «um sinal de que o contexto ainda é incerto para os consumidores, que estarão a deixar decisões para última hora».

Relativamente às despesas em férias, os portugueses pretendem gastar, em média, cerca de 900 euros, menos 32% face a 2019, o que representa menos 450 euros no orçamento dedicado às férias. Os que tencionam ficar na sua residência não esperam gastar mais de 320 euros.

O inquérito foi realizado pela empresa de estudos de mercado Nielsen e teve por base uma amostra representativa de 1000 indivíduos residentes em Portugal Continental, com idades entre os 18 e os 74 anos.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...