Portugueses já vêem mais vídeos em streaming do que TV em directo

Ericson_rsÀ medida que os portugueses aderem cada vez mais às novas tecnologias, também se alteram os seus hábitos de consumo de conteúdos. No mercado nacional, 78% dos consumidores já visualiza vídeos (YouTube, filmes, clipes de vídeo, programas e séries televisivas) em streaming várias vezes numa semana, enquanto 69% vê televisão tradicional (em directo) também várias vezes numa semana, conclui um estudo divulgado pela Ericsson.

Esta é a primeira vez que o estudo anual, designado Ericsson ConsumerLab TV & Media e que vai na sua quinta edição, integra dados do mercado português.

O inquérito revela que os portugueses gastam em média quatro horas por semana a ver vídeos no smartphone, enquanto 22% faz “place-shifting” – isto é, começa a ver um determinado vídeo em casa e continua a vê-lo fora de casa nos dispositivos móveis (smartphones e tablet), ou vice-versa – numa base semanal.

Praticamente metade (49%) dos inquiridos preferia que os episódios (de séries televisivas, por exemplo) fossem lançados todos de uma vez, para que depois pudessem visualizar à sua vontade e ao seu próprio ritmo. Na ausência desta funcionalidade, os consumidores têm optado cada vez mais por gravar os conteúdos televisivos e vê-los mais tarde. “Os canais de televisão tradicional e por subscrição são vistos, muitas vezes, como ‘repositórios de conteúdos’ através dos quais os consumidores escolhem os conteúdos específicos que querem ver mais tarde, utilizando um gravador de vídeo digital (DVR)”, sublinha a Ericsson.

O estudo revela ainda que, no que toca ao consumo de televisão, os portugueses estariam dispostos a pagar mais por determinadas funcionalidades, nomeadamente a disponibilização de conteúdos televisivos à la carte/pacotes de vídeos (42%), a disponibilização de séries e filmes ao mesmo tempo que estreiam no cinema (40%) e a qualidade excelente da imagem (38%). Os portugueses estão cada vez mais exigentes com a qualidade da imagem, sendo que mais de metade (59%) considera que ter um ecrã de alta definição é “muito importante”.

O estudo Ericsson ConsumerLab TV & Media 2014 é baseado em 23 mil entrevistas online, a pessoas entre os 15 e os 69 anos e com acesso à banda larga, num total de 23 países.

Texto de Daniel Almeida

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...