Pandemia está a mudar a forma como compramos: menos toque e mais marcas locais

O Mundo não será o mesmo depois do novo coronavírus. Esta é uma das frases que mais se tem ouvido e lido ao longo das últimas semanas, mas talvez não seja preciso esperar pelo pós-COVID-19: já há mudanças em curso e novos comportamentos adoptados (seja pela força da lei, como é o caso da utilização de máscara, ou do receio em ser infectado, entre outros).

Um relatório elaborado pela Big Bed Rooster indica que há pelo menos sete mudanças impulsionadas pela pandemia. Segurança e protecção serão palavras de ordem neste “novo normal”, bem como distanciamento ou desconfiança.

«Não podemos não viver esta experiência», afirma Emily Miller, VP Strategy & Insight na Bir Red Rooster, referindo-se ao facto de que não dá para fingir que a crise sanitária não está a acontecer e seguir em frente como se nada fosse. Segundo a responsável, citada pelo CNBC, a Grande Recessão mudou os hábitos financeiros, mas o coronavírus deverá ter um impacto muito maior num conjunto alargado de hábitos e formas de agir. Não se trata apenas do destino dado ao dinheiro que temos no banco.

1 – Olhar, mas não tocar. Notícias de que o vírus poderá sobreviver durante alguns dias em superficíes e materiais como plástico ou aço estão a deixar os consumidores apreensivos. O toque está reservado exclusivamente para aquilo que irá de facto com cada pessoa para casa, além de que usar o mesmo carrinho de compras de outra cliente, por exemplo, pode causar algum desconforto;

2 – Proteger o espaço pessoal. Tal como evitar tocar em coisas, os consumidores também estão mais conscientes do espaço que os rodeia e da distância a que as outras pessoas devem estar. Como consequência, locais com muitas pessoas serão evitados e centros comerciais ao ar livre serão privilegiados em detrimento de alternativas fechadas;

3 – Comprar local. Segundo o relatório, a pandemia fomentou em muitos consumidores um interesse em comprar o que é local. Querem apoiar o café do bairro e as lojas que apostam em produtores das redondezas, por exemplo;

4 – Compras por impulso recuam. Outra tendência verificada pela Big Red Rooster diz respeito aos gastos por impulso ou sem grande planeamento. Roupa, joalharia ou acessórios, por exemplo, deverão estar no fim da lista de prioridades dos consumidores, especialmente tendo em conta que se aproxima uma crise económica e que se nota já, em alguns casos, um corte no rendimento das famílias.

No mesmo sentido, é possível que os consumidores estejam mais atentos a promoções, descontos e ofertas e que privilegiem marcas que disponibilizem esse tipo de campanhas. Também vão pensar duas vezes antes de avançar com uma compra ou investimento mais avultado;

5 – Tudo se torna virtual. A revolução digital foi acelerada pela pandemia, que obrigou à adopção e desenvolvimento de alguns processos que poderiam demorar anos. É o caso da virtualização de várias actividades, dos encontros românticos às compras: o comércio electrónico ganhou força com a quarentena e os consumidores que se tenham habituado a esta possibilidade poderão querer mantê-la;

6 – Lealdade às marcas que oferecem confiança. Quando chega o momento de escolher que marca comprar, aquelas que inspiram confiança deverão ser as que conquistam a lealdade dos consumidores, segundo aponta o relatório.

Tendo em conta o contexto de crise sanitária, os consumidores poderão sentir-se mais atraídos por marcas que se tenham mostrado sensíveis ao tema e que tenham levado a cabo algum tipo de iniciativa para mitigar os efeitos do novo coronavírus – que pode ir da oferta de desinfectante a unidades de saúde à forma como trataram os colaboradores;

7 – Decisões globais. Embora a produção e o comércio local tenham ganho peso na decisão de compra, a Big Red Rooster considera que o facto de estarmos perante uma pandemia levou os consumidores a pensarem de forma global.

Nesse sentido, deverão prestar mais atenção à forma como os bens que compram são produzidos, nomeadamente se são cumpridas normas de sustentabilidade e trabalho justo.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...