Os trabalhos da Henkel Ibérica

entrevista_Aumentar as vendas em relação ao ano anterior, manter e em alguns casos aumentar posições de mercado com as suas marcas e lançar produtos realmente inovadores são os desafios da Henkel Ibérica. Conheça a estratégia.

A Henkel estabeleceu três prioridades estratégicas em 2008 para os objectivos a conquistar em 2012: um ROS de 14%. «Explorar todo o potencial de negócio, centrar-se mais no cliente e fortalecer a equipa global são os três eixos da estratégia corporativa marcada para conseguir uma “Cultura Vencedora” e alcançar os objectivos futuros da companhia: ser líder global em marcas e tecnologias», explica Luis Carlos Lacorte, presidente e CEO da Henkel Ibérica.

No último trimestre conseguiu um aumento de 13,7% de vendas em relação ao mesmo período de 2009 e um EBIT superior a 27%. Do total de operações do grupo, os maiores crescimentos chegam dos países emergentes da Europa de Leste, África/Oriente Próximo, América Latina e Ásia, onde as vendas aumentaram 20,7%. Segundo Luis Carlos Lacorte, o objectivo «é o crescimento orgânico das vendas em todas as regiões e que possa continuar a ser melhor que os seus mercados relevantes. Para Portugal espera-se o mesmo comportamento que nos restantes países da Europa Ocidental».

Já passaram muitos anos mas a visão da empresa continua a mesma: ser líder global com as suas marcas e tecnologias. A inovação e a sustentabilidade são a base da empresa para o conseguir e é assim que entendemos a nossa maneira de fazer negócio. O que mudou muito foi o mercado: muito mais competitivo, com uma maior guerra de preços e promoções, um espectacular crescimento da marca branca (só em cosmética houve um crescimento de 22% relativamente a 2008) e um distribuidor com muita força. Com qualidade, inovação e sustentabilidade nas nossas marcas e tecnologias, trazendo valor aos mercados, ajudamos a desenvolvê-los e trabalhamos constantemente para satisfazer as necessidades dos consumidores.

Iniciou a sua carreira profissional na Henkel em 1992. Quais as principais alterações no mercado e no próprio grupo?

 

PARA LER O ARTIGO NA ÍNTEGRA CONSULTAR EDIÇÃO IMPRESSA Nº175

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...