Olympus vai despedir 2700 trabalhadores em dois anos

A Olympus, fabricante japonesa de equipamentos ópticos que está envolvida num escândalo de fraude contabilística, anunciou hoje que vai cortar 2700 empregos, ou 7% da sua força de trabalho, até Março de 2014.

Como parte de um plano de reestruturação depois do caso de ocultação de perdas, a Olympus pretende ainda concentrar-se nos negócios de Imagem, Sistemas Médicos e Ciências da Vida. Com este plano, a maior fabricante mundial de endoscópios espera aumentar o rácio de capital próprio em 30% até 2017, de acordo com um comunicado citado pela agência Bloomberg.

De parte não está também a venda de acções no mercado ou a possibilidade de a empresa procurar parcerias estratégicas. De acordo com Hiroyuki Sasa, presidente da Olympus, a companhia já recebeu várias propostas de parceria. Sem adiantar nomes, o responsável avançou apenas que se tratam de empresas japonesas. No entanto, em Abril passado, Sasa revelou que a empresa havia recebido propostas de «mais de três potenciais clientes», incluindo a Sony, a Fujifilm e a Terumo, recorda a Bloomberg.

Em Outuro passado, na sequência das denúncias do ex-CEO Michael Woodford – que lhe valeram a demissão do cargo ao fim de apenas duas semanas no lugar – , a Olympus admitiu que realizou, desde 1990, pagamentos inflaccionados a consultores para ocultar prejuízos na aquisição de empresas, que ascendem a 135 mil milhões de ienes (cerca de 1,37 mil milhões de euros). O escândalo contabilístico, que envolve toda a administração do grupo, coloca em risco a presença da Olympus na bolsa de Tóquio, bem como o próprio futuro da empresa, que assistiu à saída de alguns investidores.

No ano fiscal terminado a 31 de Março, a Olympus registou, pela primeira vez em três anos, um prejuízo de 49 mil milhões de ienes (aproximadamente 495 milhões de euros). O negócio Sistemas Médicos foi o mais rentável e permitiu cobrir as perdas de outras áreas, como Imagem, tendo representado 41% das vendas globais da empresa. Negando qualquer influência do escândalo contabilístico nas contas da empresa, a Olympus justificou as perdas com o aumento dos impostos e a valorização da divisa japonesa.

A empresa espera regressar aos lucros este ano fiscal e estima um resultado líquido consolidado de sete mil milhões de ienes (71 milhões de euros). A longo prazo, o Grupo pretende alcançar um lucro líquido de 40 mil milhões de ienes (405 milhões de euros) a partir de 2014 e de 85 mil milhões de ienes (859 milhões de euros) a partir de 2016.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...