O novo híbrido plug-in da BMW tem o melhor dos dois mundos

Diz que é um híbrido plug-in, com tecnologias inteligentes e a aceleração dinâmica. Fomos experimentar o novo X3 xDrive30e e ficámos convencidos, a começar logo pelo design. Já o viu por aí?

A marca diz que o “BMW X3 xDrive30e combina o melhor de dois mundos: a eficiência de um motor eléctrico com a autonomia de um motor de combustão. Um híbrido plug-in, com tecnologias inteligentes e a aceleração dinâmica, que oferece uma ágil experiência de condução”. Nós fomos experimentar numa viagem Lisboa-Porto-Lisboa, sendo que este seria o primeiro carro electrificado da BMW que conduzíamos. De imediato, ficámos conquistados pelo design. Linhas revivalistas que não deixam de ser contemporâneas e que elevam a marca. É um grande SUV alemão, ou SAV, em linguagem BMW!

Vamos lá então fazer-nos à estrada, que nos esperava uma conferência no Porto. O carro é elevado, como se quer, mas mesmo pessoas com estatura como a minha, ou seja, pequena, conseguem entrar sem dificuldade.

À frente, os bancos são ligeiramente desportivos, em particular a posição de condutor, mas confortáveis. Aliás, conforto é coisa que não falta neste modelo – tirando o facto de termos sentido que, em auto-estrada, abana um pouco mais do que gostaríamos.

Posto a trabalhar, arrancámos com motor eléctrico (sempre), o que se traduz em total ausência de barulho. E, a velocidades mais baixas, o motor eléctrico continua a trabalhar, o que se traduz em menor consumo de combustível e, lá está, em conforto, já que o silêncio é total. Sim, a insonorização face ao exterior também não merece reparos!

Assim que entrámos em modo auto-estrada, aí percebemos em pouco tempo que o BMW X3 xDrive30e pode ser pesado, mas se há coisa que ele também tem é rapidez, cumprindo bem o que promete. Ao ponto de nos obrigar a ter, por várias vezes, atenção redobrada à velocidade.

Como se trata de um híbrido/eléctrico, a direcção é mais leve, o que facilita, e muito, em momentos como o estacionamento. Se bem que tanto o sistema de câmaras como o de sinalização de proximidade de um obstáculo são de tal forma afinados que é impossível bater!

Sendo um híbrido plug-in, o BMW X3 xDrive30e é carregado externamente através de um cabo. Quando ligado a uma tomada doméstica, a bateria demora aproximadamente seis horas até ser totalmente carregada. Com uma BMW i Wallbox, esse tempo é reduzido para as três horas e meia, informa a marca. Ah, as baterias estão “escondidas” no porta-bagagens, assim como é aqui que, claro, se tem que transportar o cabo de carregamento, o que faz com que a bagageira se torne mais pequena do que à partida fazia prever. Mesmo assim, o comprimento não diminuiu (apenas a altura) e no nosso caso – três adultos com pequeno trolley e uma mochila cada um – chegou. Não chegará, contudo, se quiser transportar volumes de maior dimensão.

Imenso espaço é o que mais há nos bancos traseiros. Confortáveis, com climatização individual e controlo total atrás, excelente qualidade dos materiais. Igualmente de topo é o sistema de infotainment e altamente facilitador a assistente de telefone – o que muito ajuda numa viagem de horas como esta Lisboa-Porto-Lisboa. Quanto ao sistema de painel de instrumentos, já não é tão easy friendly, mas com tempo chega-se lá.

O novo X3 xDrive30e está disponível nos níveis Advantage, xLine, Luxury e M Sport, já com vários equipamentos de série: como seja o ar condicionado controlado remotamente, os serviços digitais e a protecção acústica para peões. Já o viu por aí?

Texto de M.ª João Vieira Pinto

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...