O advento dos BFF

Os influenciadores digitais são a mais recente arma das marcas para estarem próximas dos seus potenciais clientes. Mas, tal como nas já muito testadas figuras públicas que se tornam embaixadores de marcas, há riscos que importa pesar antes de avançar para este caminho.

Texto de M.ª João Lima e M.ª João Vieira Pinto

Fotos de Paulo Alexandrino

A utilização de influenciadores digitais pelas marcas em redes como Instagram, Facebook ou Youtube está longe de ser consensual. Uns acolhem-nos de braços abertos, outros fogem a sete pés com receio dos riscos destas apostas para a coerência da mensagem da empresa.

O tema da utilização de influenciadores digitais foi o mote da conversa no mais recente almoço do Fórum de Comunicação da Marketeer em que estiveram presentes Filipa Matos (Deloitte), Inês Simões (Ageas), Inês Veloso (Randstad), João Filipe Torneiro (Galp), Laura Santinhos (MSC Cruzeiros), Miguel Salema Garção (CTT), Nelson Teodoro (Novabase), Ricardo Valadares (Millennium bcp) e Rui Rijo Ferreira (Jaba Recordati).

Mas os influenciadores não são o único desafio. A certa altura, ouve-se que o BFF Marketing faz parte do futuro das marcas. E o que é isso? É a marca conseguir ser o best friend forever de cada potencial consumidor.

Para ler o artigo na íntegra consulte a edição de Abril de 2019 da revista Marketeer.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Automonitor
Postos para carros elétricos no Porto passam a ser pagos dentro de 15 dias