No rescaldo do Web Summit

Texto de Rute Ferreira, Business Advisor da Havas Media

Para quem é fã de feiras de tecnologia, marketing digital e procura as últimas tendências, Lisboa tornou-se a capital destes temas durante quatro dias! Web Summit foi a hashtag mais partilhada durante este período e os feed das redes sociais envaideceram aqueles que tiveram a oportunidade de lá estar.

Já vamos na quarta edição, onde temas ganham mais ou menos expressão de edição para edição e onde é possível estar a poucos metros de distância (e com sorte tirar uma selfie!) de convidados internacionais relevantes que debatem preocupações mundiais tanto a nível de sociedade, mas também sobre o impacto da tecnologia na indústria e no dia-a-dia próximo. No entanto é pelos corredores dos quatro pavilhões que a magia acontece!

A concretização e avanços tecnológicos de que se falava há 4 ou 5 anos são hoje possíveis de ver e de interagir um pouco por todo o lado, como é o caso de robots – desde os mais simples que assumem o papel de promotores do evento e mantêm uma conversa informal e curta, a robots mais complexos que servem snacks consoante um pedido específico. Quando saímos do Parque das Nações é interessante ver como a própria sociedade já aceita e adopta este pensamento e tecnologia, ao criar restaurantes específicos onde todos os chefs já são robots, e na saúde onde há já vários testes de cirurgias remotas graças também ao 5G e à Realidade Virtual.

Se pensarmos que estas tendências eram projectadas para 10 a 15 anos, hoje com a aceleração e transformação digital tudo fica mais curto no tempo e torna-se uma realidade próxima, onde as pessoas a incorporam no seu dia-a-dia (pela novidade ou pela necessidade). Torna-se assim crucial para as marcas que não percam a oportunidade de inovarem, para proporcionarem experiências que marcam memórias, sentidos e assim se tornam desejáveis e indispensáveis.

Mas foi igualmente entusiasmante ver a quantidade de startups que, de certa forma, tinham sempre no seu pitch Inteligência Artificial e Data incorporados e, hoje, com os avanços do 5G têm novas oportunidades à porta. Investidores e marketeers procuravam perceber as implicações no negócio, a oferta diferenciada e como incorporar no seu ambiente de trabalho para que a transformação digital seja mais célere. Uma realidade que não é possível ignorar e que, de facto, vai transformar a forma de pensar, comunicar e de interagir com o mundo! Há uma grande preocupação das marcas em saberem mais do consumidor e adaptarem a sua mensagem para ser mais relevante, no entanto é preciso mais do que isso: é necessária coragem, criatividade e disciplina para uma mudança de processos, logística e até mesmo tecnológica.

Por fim nada melhor do que referir que todo o frenesim que se sentiu, a network e parcerias estabelecidas, bem como a correria (mais de 15 Km por dia)  para não perder palestras entre os palcos Panda Conf e o do Altice Arena, foram vividos intensamente na esperança de absorver tudo e projectar aquilo que podemos fazer hoje para alterar o amanhã.

Foto de destaque de Sam Barnes, Web Summit via Sportsfile

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Automonitor
Nissan LEAF em modo drift