Nestlé Portugal continuará a crescer este ano

 

nestleMuito mais que uma simples empresa de alimentação e bebidas, a Nestlé tem vindo, desde 2006, a encetar uma série de práticas que a posicionam num eixo de weel being.  A reformulação de fórmulas e a introdução de novos elementos na composição dos produtos – como cereais integrais – têm sido alguns dos passos

Quando assumiu os comandos da Nestlé Portugal, em 2006, uma das apostas da companhia passava por um reposicionamento do eixo fabricante de produtos alimentares para o bem-estar. De então para cá como tem evoluído essa estratégia?

Ao ter como ambição ser reconhecida com uma empresa de nutrição, saúde e bem-estar – indo muito mais além de uma empresa de alimentação e bebidas -, a Nestlé lançou mão de um conjunto de ferramentas para que isso pudesse acontecer. Nomeadamente para fazer um diagnóstico do portefólio e, face a esse diagnóstico, perceber que melhorias era preciso introduzir nos produtos de forma a ir ao encontro do que os consumidores querem e precisam. Posso dar vários exemplos, como a transformação dos produtos, a introdução do compasso nutricional em todas as embalagens – que procura identificar as características do produto e aumentar a literacia dos consumidores face às informações nutricionais -, assim como decisões que se tomaram em termos de comunicação. Hoje existem regras claras de comunicação em produtos que tenham uma clara preferência organoléptica junto dos consumidores mas, também, uma vantagem nutricional. Se já é visível? Penso que sim.

Em Portugal, no conjunto destas iniciativas – que depois são monitorizadas a nível mundial – no geral somos bons alunos. Todos os produtos da Nestlé em Portugal têm hoje o compasso nutricional, 98% dos produtos já têm os VDR…

 

E o mercado já percebe e reconhece essa mudança?

É impossível que não perceba. No caso dos cereais do pequeno-almoço, todos são com cereais integrais. É uma mudança muito radical face ao que existia. E somos líderes nesta categoria. Pelo que é impossível que o consumidor não se aperceba desta alteração.

Mesmo no caso do Nestum Mel temos já algumas fórmulas com cereais integrais.

Em nutrição infantil reduzimos a taxa de açúcares em todos os produtos. Há dois anos lançámos chocolate sem adição de açúcar. Nos gelados temos alguns sem adição de açúcar e outros sem glúten.

Na generalidade das categorias a situação é muito diferente da que tínhamos há uns anos.  

 (…) 

PARA LER NA ÍNTEGRA CONSULTE A EDIÇÃO IMPRESSA

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Patrões portugueses são os menos instruídos da Europa
Automonitor
Primeiro Porsche 911: Uma obra-prima alemã