Nasceu a Brighten pelas mãos dos colaboradores

A empresa de consultoria de gestão Procensus Oak Peak, focada nas tecnologias de informação, tem uma nova identidade, passando a denominar-se Brighten. Um rebranding que pretende para reflectir uma nova fase da empresa, agora que está concluído o processo de fusão entre a Procensus e a Oak Peak.

«O rebranding é um processo que planeámos e desenvolvemos durante bastante tempo. É o culminar de cinco anos de trabalho e evolução contínua e esta mudança reforça o compromisso que temos, com os nossos clientes, os nossos colaboradores e o mercado em geral. A nova identidade clarifica e estabelece a visão, missão e estrutura da organização. Brighten significa esclarecer, iluminar, aclarar, o que reflecte as nossas soluções, inovadoras, simples e orientadas a um mundo cada vez mais digital. Remete-nos para o nosso foco que é simplificar o negócio dos nossos clientes», justifica André Coutinho, managing partner. «Mudámos o nome e a imagem, mas mantivemos a nossa essência, o conhecimento de negócio, o foco no cliente, a experiência comprovada e a qualidade reconhecida pelos nossos clientes», conclui Jorge Carvalho, também managing partner da empresa.

A nova identidade e materiais de comunicação foram desenvolvidos pela agência criativa Carmen, do Youngnetwork Group, com base no nome escolhido pelos colaboradores da ex-Procensus Oak Peak.

Tiago do Paço, Marketing manager da Brighten, explicou à Marketeer, os detalhes de toda esta mudança.

Porquê a escolha deste momento em específico para avançar com o rebranding? Como foi o processo de escolha do nome?

O anúncio do nascimento da Brighten acontece cerca de seis meses depois do anúncio da fusão, mas o processo de rebranding já tinha sido iniciado. Lançámos a Brighten em 2021, aproveitando um novo início e deixando um 2020 desafiante para trás.

Quanto ao processo de escolha do nome, era importante definir primeiro o que queríamos que a marca fosse, significasse e aportasse a si mesma. Sabíamos que queríamos uma marca forte, sonante, com nome curto e memorável, que significasse inteligência, clareza de ideias, inovação e conhecimento. Tudo isto e que ainda tivesse o domínio disponível. Foi um desafio! Os colaboradores tiveram também uma palavra a dizer. Houve um concurso interno onde foi possível os colaboradores apresentarem as suas ideias e racionais criativos, havendo um júri que deliberou sobre as propostas. Depois, foi um crescendo criativo até chegarmos ao nome Brighten, que traduz na exatidão tudo aquilo que somos, enquanto organização.

Era imperativo que fosse em inglês?

Foi uma escolha natural, tendo em conta a estratégia contínua de internacionalização da marca. Actualmente, o mercado externo representa mais de 50% do revenue anual da Brighten, que actua em mais de 20 países. A nível interno, somos uma organização com várias nacionalidades entre as equipas de consultores por isso o inglês é a língua mais fácil e comum a todos.

Apesar da mudança, optaram por manter a assinatura. Porquê?

O rebranding é o culminar de uma transformação que começou em 2015, com o «Simplify Your Business. Together». A assinatura representa aquilo que é a missão da organização, existindo para ajudar os clientes a optimizar os seus processos de negócio, estando o “together” a enaltecer a forma colaborativa de trabalhar com o cliente.

Era inevitável, depois da fusão, ter um nome neutro para ambas as anteriores estruturas? O que esperam que leve à equipa?

Sentimos que era necessária uma nova identidade para uma nova realidade. Foi, aliás, esse um dos pilares para a construção de toda a marca. A Brighten, marca que nasce da fusão entre a Procensus e a Oak Peak, é maior que a soma das partes per si.

Estamos bastante satisfeitos com a aceitação global do novo nome, por parte dos nossos consultores. Um novo nome passa a mensagem de unidade e coesão. O foco estará na criação de novas ofertas inovadoras que permitam à Brighten crescer em novos mercados e novas tecnologias.

Quais os valores que acreditam que o novo nome aporta à empresa?

Há valores que queremos manter, pois somos uma empresa experiente, com mais de 20 anos de actividade. Certamente manteremos valores como o compromisso absoluto com o cliente e o foco no seu negócio, a colaboração, a ética e a integridade. Ainda assim, acreditamos que o novo nome traz modernidade, clareza de ideias e inovação.

Quem assina o rebranding e qual a ligação anterior (e daqui para a frente) à agência?

Quem nos ajudou neste processo foi o Grupo YoungNetwork, nomeadamente a Taylor, a Carmen e a Alice. Foi o nosso primeiro projecto com estas agências e estamos bastante satisfeitos com a forma como beberam a nossa complexa informação e nos ajudaram a clarificar uma marca que precisava de uma imagem mais digita e inovadora.

A ligação será para manter pois a área da assessoria de imprensa é assegurada pela Taylor e a área digital, Alice, está a tratar da implementação de um novo site.

Veja o videomotion de apresentação da nova designação:

Texto de Maria João Lima

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...