Mulheres são melhores líderes do que os homens

mulheres_rsUm estudo da Ketchum Leadership Communication Monitor 2014 apurou que as mulheres que ocupam cargos de liderança estão a ter um melhor desempenho do que os colegas do sexo masculino no que se refere aos principais atributos necessários para uma liderança eficaz.

A terceira edição anual do Ketchum Leadership Communication Monitor (KLCM), um estudo global que entrevistou 6.509 pessoas em 13 países, nos cinco continentes (Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha, Espanha, Canadá, China, Itália, Singapura, Índia, Emirados Árabes, África do Sul e Brasil), teve como objectivo apurar a opinião dos entrevistas acerca da liderança e de uma comunicação eficaz, bem como a ligação entre ambas.

As conclusões da Ketchum referem que, em comparação com os líderes masculinos, a liderança feminina saiu “a ganhar” nas quatro características mais importantes para uma liderança eficaz, nomeadamente liderar pelo exemplo (57% dos inquiridos destacou a liderança feminina face aos 43% que colocam os homens neste ranking), liderar comunicando de forma aberta e transparente (62% versus 38%), liderar admitindo erros (66% versus 34%) e liderar destacando o melhor nos outros (61% face 39%). O desempenho masculino apenas superou relativamente ao lidar com questões controversas ou crises com calma e confiança (52% dos inquiridos destacaram a liderança masculina neste atributo).

No total, os líderes do sexo feminino venceram em cinco das sete principais características analisadas. A pesquisa constatou ainda que, globalmente, os líderes masculinos consideram que os seus homólogos do sexo feminino – 54% a 46% – irão liderar os desafios dos próximos cinco anos.

De acordo com Rod Cartwright, director de Global Corporate & Public Affairs Practice da Ketchum, estes resultados não significam que «todos os futuros líderes devam ser mulheres e que os homens não têm lugar na liderança. Em vez disso, os nossos resultados revelam mensagens com uma relevância vital para os líderes de ambos os sexos, à medida que continuam a ter de gerir a crise de liderança que existe neste momento», afirma Rod Cartwright, director de Global Corporate & Public Affairs Practice da Ketchum.

«O nosso estudo demonstra claramente que para inspirar confiança, os líderes de ambos os sexos precisam de evitar uma abordagem de comando e controlo, que tende a ser considerada como algo dominador e até mesmo arrogante. Em vez disso, estamos a observar o nascimento de um novo modelo de comunicação de liderança baseado na transparência, colaboração, diálogo genuíno, valores e o alinhamento de palavras e actos, sendo um modelo seguido de forma mais consistente pelos líderes do sexo feminino. Esta pesquisa, finalmente, coloca de parte a falsa suposição de que as mulheres precisam de agir como os líderes de sexo masculino da “velha guarda” para deixar sua marca» acrescentou Barri Rafferty, Ketchum Senior Partner.

Este estudo KLCM refere ainda que apenas 22% dos entrevistados acreditam que os líderes estão a demonstrar uma liderança eficaz – um valor 25% abaixo do ano passado -, com apenas 13% a indicar que têm o líder certo em situações de crise. Acrescenta-se ainda que apenas 30% acredita que a liderança é baseada em valores justos, e apenas 17% estão optimistas face a uma possível melhoria da liderança durante o próximo ano.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...