Mota-Engil: «As marcas não deverão mudar mas sim evoluir»

Se é verdade que incerteza tem sido palavra de ordem nas notícias e conversas, também é verdade que resiliência demonstrou ser uma das principais características das empresas e das marcas que nelas vivem. Para perceber melhor o que está a ser feito em Portugal para lidar com a pandemia de COVID-19, a Marketeer quis ouvir quem está à frente de algumas das maiores organizações do País – de áreas como Turismo, Telecomunicações, Farmacêutica, Moda, Restauração, Tecnologia ou Seguros.

A todos foi colocada a mesma questão: o Mundo mudou e as marcas também vão ter de alterar a forma como comunicam e constroem relações de confiança. Que trabalho está a ser feito neste sentido?

Gonçalo Moura Martins, CEO do Grupo Mota-Engil

As marcas não deverão mudar mas sim evoluir, dentro de algo mais profundo que é a sua cultura e, no caso da Mota-Engil, os três drivers principais da marca são: a competência técnica, o compromisso com o cliente e a sua reconhecida capacidade de execução, seja onde for.

Este reforço permanente da marca em torno destes drivers tem um valor intrínseco na organização que molda a cultura de quem aqui trabalha e, sendo em si mesmo imaterial, é fundamental na decisão final do cliente quando este toma por primordial a qualidade associada à fiabilidade na entrega do bem ou serviço contratado.

Assim, e no caso da Engenharia, mais do que a mudança, temos de assegurar a evolução da empresa de forma alinhada com o que são as tendências do sector e da sua inovação tecnológica porque o beneficiário final será o cliente no imediato e a empresa a longo prazo na confiança que é reforçada. E é isso que temos estado a garantir, que é entregar, com qualidade e em tempo, o que nos comprometemos a executar, e esse será o melhor cartão-de-visita para uma empresa do sector da Engenharia como é o caso da Mota-Engil.

Falar de marcas representa também um trabalho contínuo de comunicação entre stakeholders e neste período foi possível evidenciar algo que vem desde a fundação do grupo, que é o seu carácter solidário junto das suas comunidades. E foi assim, sob uma campanha com o mote “Um Grupo Coeso, um Mundo mais Seguro”, que, na Mota-Engil, fomos partilhando internamente o que fizemos para salvaguardar a saúde e segurança dos nossos colaboradores e clientes, para além das inúmeras iniciativas de apoio à comunidade, o que se tornou um factor mobilizador dos nossos colaboradores pela tranquilidade e segurança com que a organização respondeu a algo até então desconhecido. Permitiu também reforçar internamente a confiança de todos e mesmo com parceiros e clientes, o que, estou certo, contribuirá também para construir relações de confiança, estáveis e duradouras.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...