Miguel Salema Garção: «Nenhuma pessoa, marca ou empresa será a mesma»

O que ficará depois deste “buraco negro” do novo coronavírus? Que marcas iremos ter? E como é que passarão a estar e a comunicar? Não sendo possível qualquer previsão clara e certa, fomos, contudo, tentar perceber de que forma é que algumas das maiores empresas e marcas em Portugal estão a reagir e como esperam sair do momento mais crítico de todos os tempos, a nível mundial. Vamos todos dar a volta?

Miguel Salema Garção, director de Marketing, Comunicação e Sustentabilidade dos CTT

1 – O que está a ser feito, neste momento, para que a sua marca não perca relevância?

Os CTT estão conscientes do papel crítico que desempenham na manutenção de cadeias de comunicação e logística vitais para a economia e a sociedade portuguesa.

Neste momento difícil que todos vivemos, os CTT conseguem proporcionar às pessoas a possibilidade de ficarem em casa, podendo satisfazer os seus pedidos de entrega de bens necessários, e proporcionam às empresas que a sua logística e distribuição se mantenham activas, fazendo com que a economia continue a funcionar.

O País não pode parar e nós temos um papel muito relevante nesse sentido. Somos orientados para o cliente e para as suas necessidades, temos uma oferta segmentada para particulares e empresas, com soluções que começam no envio de correio e expresso, que passam pelas melhores ofertas de poupanças e por um portefólio alargado de produtos de conveniência na rede de lojas e a oferta de soluções de publicidade, de logística, de outsourcing de processos e de apoio à presença no mundo do comércio electrónico, para apoiar as empresas no seu processo de digitalização e crescimento.

Estamos a alterar a forma como nos apresentamos, como comunicamos com o mercado e como queremos ser reconhecidos: um parceiro de negócio de confiança, que liga pessoas e empresas, e com o qual os seus clientes podem contar para os apoiar a aumentar a eficácia e eficiência das suas actividades em alinhamento com os nossos valores de proximidade e a nossa capacidade de inovação.

Mantendo a prestação de um serviço de qualidade e de proximidade às populações, temos vindo a apelar ao seguimento rigoroso das recomendações da Direcção-Geral da Saúde, por forma a garantirmos a segurança dos clientes, dos nossos colaboradores e de todos nós. Foi nesse sentido que a marca CTT apresentou uma campanha digital em vídeo, apelando a todos os portugueses que durante estes tempos difíceis fiquem em casa. Por eles e por todos nós.

2 – E depois deste “buraco negro”, a sua marca será a mesma?

Acredito que nenhuma pessoa, marca ou empresa será a mesma depois desta pandemia pela qual todos atravessamos. É um momento para estarmos todos unidos e é nessa união que todos sairemos mais fortes. Precisamos de ser responsáveis e actuar, ficando em casa. Enquanto isso, os CTT, como empresa cuja missão é essencial para o funcionamento do país, continuarão a ligar pessoas e empresas com entrega total.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...