Marcas sem marca ganham força em 2020

O valor está a tornar-se mais importante para os consumidores do que o Marketing. Quer isto dizer que a marca poderá estar a perder relevância e que a qualidade e as características dos produtos e serviços estão a ganhar terreno. «De certa maneira, a popularidade crescentes das marcas D2C [direct to consumer] ilustra o valor da diferenciação, inovação do produto e resposta a necessidades dos clientes ainda sem solução», explica Andrew Lipsman, principal analyst da eMarketer.

Ao mesmo tempo, acrescenta ainda o especialista, os consumidores de hoje procuram valor e não estão obrigatoriamente ligados a marcas em particular. Em alguns casos, isto também pode dizer respeito ao retalhista (intermediário) e não à própria marca. Por exemplo, um consumidor pode gostar muito de uma marca de detergentes mas não ser fiel ao supermercado que a vende, estando até interessado na ideia de comprar directamente ao fabricante (D2C).

Segundo a eMarketer, já são muitas as lojas a abrir portas seguindo esta lógica das “marcas sem marca”. Um estudo do IHL Group mostra que no campo dos supermercados, retalhistas com foco nos descontos e nas marcas próprias como o Aldi estão a crescer.

«O mindset dos consumidores está a mudar e as pessoas não são anti-marca. Estão mais inclinadas para anti-aquilo-que-costumava-ser», afirma Aaron Magness, CMO da Brandless. Andrew Lipsman acrescenta que as marcas próprias eram, habitualmente, sinónimo de barato e qualidade inferior mas que essa descrição já não corresponde à verdade.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...